10/08/2016 às 09:43
Tantas coisas

Um sol escondido atrás da cortina
Longe das colinas
Palavras escondidas atrás dos sorrisos
Medos e paixões
Um homem tem medo
Medo de ter medo
Medo de chorar
De errar, muito!
De calar
De cair e esquecer-se de levantar
Quantas palavras que ela adorava?
E o homem chorou
Mas não desafinou
Bebeu, gritou e por fim sorriu...
Passou o tempo
E viu...
E retratos estão por todos os lados
Claro que você entende
Sente...
Disso não tenho dúvida...
Mas será que Platão e Freud estavam certos
Espertos?
Será que a Bossa Nova é parecida com Jazz
E faz...
Não somos como nossos pais, ou somos?
Seremos marginais?
Mas esperamos sem dormir nossos filhos, sim!
O que poderia nos consolar?
Dinheiro
Comida
Imortalidade
Tanta bobagem...
Coração
E alguém roubando teu tempo
Venha logo comigo!
Rasgue esse diploma
Rasgue suas certezas
Osho morreu
Marx morreu
Jesus na cruz chorou
Einstein criou a bomba atômica
E ferrou no sono eterno
Somos eternos, mas de que vale?
Sons do ouvido de um esquizofrênico
Freio na curva e morro.
E as palavras ficarão...
O que queres?
O que queres?
Um tiro na cabeça?
Queimar as certezas?
Rir...
Chorar...
Amar!
E O QUE É O AMOR?
SERÁ QUE É DEIXAR?
SERÁ QUE O AMOR É LIBERDADE?
E A LIBERDADE SERÁ APENAS PARA OS LOUCOS?
E O AMOR?
O AMOR É COMO O SOL
É COOL
É O CALOR NAS VEIAS
É O PULSAR DAS ARTÉRIAS
É DEIXAR
É VOAR
É RIR E GRITAR
É MORRER MIL VEZES
E LEMBRAR...
É LEMBRAR!

 


 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Fábio dos Santos Júnior