10/01/2017 às 17:40
Quatro Tauras Missioneiros

São quatro troncos cravados
no tempo e imensidão
levando até o fim da história
a cruz de nosso chão

Quatro timbres que se fundem
alma, garra e melodia
Cruzando firme a historia
Peleando com valentia

Dum tempo que já se foi
Mas nunca se apaga o rastro
Nos versos do Pajador
Rimando igual compasso

São quatro tauras campeiros
E o vento soprando a história
Bailanta, china e rodeio
Adaga, garrucha e espada

 

Os troncos missioneiros
Que carregam o nosso pago
Em sua essência transpira
A força de um cantar de galo

 

 



Terra da cor do sangue
Garrão que não precisa espora
Queixo duro igual Cerne
E um guitarron que conta a história

Nossa herança missioneira
Tem o grande Dom Ortaça
Com seu timbre conhecido
Nessa estancia de raça

Noel Guarani e seu pala véio
deixou gravado seu talento
de guitarra e dedilhado
E rebeldia igual o vento

Cenair Maicá
filho do seu Mandico
Que se criou nas Missiones
á bailar em campo fino

El Payador
Jayme Caetano Braun
Que passou pelo bochincho
Escreveu no vendaval

São os quatro esteios do pago
desse grande rincão costeiro
tradição , rima e glória
viva o povo Missioneiro
Fábio dos Santos Júnior


 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Fábio dos Santos Júnior