21/12/2018 às 15:56
POEMA DO MENINO JESUS

Fernando Pessoa

 

Num meio-dia de fim de Primavera

Tive um sonho como uma fotografia:
Vi Jesus Cristo descer a terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.
 
 
Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu tudo era falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras.
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem
E subir para a cruz e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai emãe como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas –
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
Pregasse a bondade e a justiça!
 
 
Um dia que Deus estava a dormir
E o espírito santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez com que ninguém soubesse que Ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu no primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água.
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedra aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e agritar dos cães...
 
 
A mim, ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas
Aponta-me todas as coisas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.
 
Ele mora comigo na minha casa.
Ele é a Eterna Criança, o Deus que faltava.
Ele é o humano que é natural.
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.
 
 
É a criança tão humana que é divina
É esta minha quotidiana vida de poeta,
E é porque ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre.
 
 
A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E a outra atudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é saber por toda a aparte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.
 
 
Ao anoitecer brincamos as cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa.
Depois eu conto-lhe histórias das coisas só dos homens
E ele sorri porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,
E dos comércios, e dos navios
Porque ele sabe que tudo isso falta àquela verdade
Que uma flor tem ao florescer.
 
Depois ele adormece e eu deito-o.
Levo-o ao colo para dentro de casa.
Ele dorme dentro da minha alma
E,as vezes, acorda de noite
E brinca com os meus sonhos.
Vira uns de perna para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate palmas sozinho
Sorrindo para um sonho.
 
 
Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar
Até que nasça qualquer dia
que tu sabes qual é.
Esta é a história do meu Menino Jesus.
Por que razão que se perceba
Não há-de ser ela mais verdadeira
Que tudo quanto os filósofos pensam
E tudo quanto as religiões ensinam?
 
 
 
Que neste Natal e em todos os dias do Ano-Novo, um Menino Jesus divino e humano venha andar conosco durante todas as horas de nossos dias!
 
Que os raios de sol que mostram Cristo descendo a terra, sejam tão esplendorosamente dourados que ilumine os dias mais sombrios!
 
Que o Menino Jesus esteja conosco em nossas noites, a cantar canções de acalanto capaz de suavizar nossos pesadelos!
 
 
Que cada um de nós encontremos nosso Menino Jesus, sejamos dignos de sua companhia! Que Jesus habite nossa alma e nos faça humanos e crianças para brincar com as crianças e compreender os adultos!
 
 
Nos dias difíceis dessa vida, Menino Jesus, pegai-nos ao colo, fazei-nos adormecer e dai-nos sonhos teus para brincar!
 
 
Feliz Natal, com Jesus na terra!
 
 
GUIOMAR TERRA BATÚ DOS SANTOS
 
 
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Guiomar Terra dos Santos