07/06/2019 às 16:13
CARPE DIEM
Autor: Walt Whitman
 
Aproveita o dia,
Não deixes que termine
Sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz,
Sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue
O direito de expressar-te,
Que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia
De fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesia
Podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar
Nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Nos derruba, nos lastima, nos ensina,
Nos converte em protagonistas da nossa história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua,
Tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar
Porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso.
Não te resignes, nem fujas.
Valoriza as coisas simples.
Se pode fazer poesia bela sobre as pequenas coisas.
Não traias tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação,
Mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida num inferno.
Desfruta o pânico que provoca
Ter a vida toda a diante.
Procuravivê-la intensamente, sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro,
E encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprende com quem pode ensinar-te
As experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe
Sem teres vivido...
 
CARPE DIEM é uma expressão vinda do latim. Sua tradução literal é “Colha o teu dia” e, trata-se de um famoso poema do grande poeta Horácio, que viveu em Roma, tendo nascido no ano 65 a.c..
 
Muitos poetas escreveram sobre a temática e, inclusive, com o mesmo título. Deixou sua visão de CARPE DIEM, o autor do poema acima, Walt Whitman (1819-1892), considerado um dos maiores poetas dos Estados Unidos, consagrando o uso do verso livre.
 
No filme “Sociedade dos Poetas Mortos”, a expressão é usada como aconselhamento: Aproveita o momento! Evite gastar o tempo com coisas inúteis!
A intencionalidade do poema, seu caráter persuasivo é sustentado pela linguagem estruturada, predominantemente, em verbos no modo Imperativo.
 
De que quer o poema nos persuadir? Que nem o ontem, nem o amanhã, são mais importantes que o hoje. O futuro é resultado do presente, mas devemos vivê-lo sem o desespero da construção do amanhã, sob pena de passarmos cada um e todos os dias apenas planejando o futuro, e a vida vai, assim, ficando para trás. A vida é o aqui e o agora. A ansiedade pelo amanhã, pelo futuro, suplanta a beleza dos dias e da vida toda.
Isso, contudo, não significa que o hoje é uma espera, um deleite: “Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário”. “Não deixes nunca de sonhar”. “Pensa que em ti está o futuro”. “Procura vivê-la sem mediocridade”.
 
Por fim, fico na essência de que, “nossa essência, precisa ficar intacta”. Nenhum dia deve passar sem que tenhamos crescido um pouco. Acreditemos que “as palavras e a poesia podem mudar o mundo”. “Não permitas que a vida se passe sem termosvivido”. “Somo seres humanos cheios de paixão”. Será que somos?
 
 

    

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Guiomar Terra dos Santos