21/08/2012 às 17:03
Quem manda em mim?

Vou contar-lhes do meu ciclo vicioso.

Venho já há algum tempo pensando nele, e tentando avaliá-lo de forma imparcial. Mas é impossível.

Primeiro por que em Psicologia/Ciências Sociais, o olhar cientifico de “observar, e apenas observar” se torna dificílimo. No meu caso, impossível. Sempre fica alguma coisa tendenciando a analise. Um engodo. Uma promessa.
Ou uma esperança.

Há nesse ciclo, dois pólos: A minha auto(?)-estima; e minha auto-critica.
Todos possuem ambos.

Porém, normalmente, a auto-estima maior, e uma auto-critica infinitamente inferior. À minha.
Ou não?

Eu já não sei identificar até que ponto é sadio eu colocar em avaliações tão rigorosas todas as coisas que faço.

Desde o meu caráter, até uma singela conversa no MSN.

Parece animador – à quem não tem – uma auto-critica tão abrangente. Projeta a ideia de que você está sempre em franca evolução e aperfeiçoamento. Mas há o paralelo.

A pergunta que desnorteia, é: quando saber que está realmente bom?
Como, e quando, perceber que o elogio foi realmente sincero, e não apenas um alento fajuto de alguém que você sabe que torce por ti.

E é justamente aqui que entra o outro pólo: Auto-estima.

Me pergunto até que ponto um dia horrível pode mudar isso.
Por em cheque qualquer coisa que você faz, por não mais saber se ela não foi tão bem feita como poderia ser, ou se ela foi feita da maneira que você melhor poderia fazê-la.

E que a cobrança em excesso parte da parte de você que sempre quer ver o seu melhor, ou da parte que não deixa você gratificar-se.

E sempre que acontece isso, eu penso: quem está mandando agora? A baixa-estima, ou a auto-critica?

Dá pra perceber o nó?

Parece bobo dizer que até esse ponto do post eu já pensei em excluí-lo.
Três vezes.

É uma fórmula matemática: A auto-critica é inversamente proporcional a auto-estima.

E o engraçado é que se elas se nivelassem por qualquer um dos extremos, seria ótimo.

Sendo ambas gigantes;
Ou comumente ínfimas. 

Graduado em Biomedicina, com habilitação em Patologia Clinica. Plantonista no Hospital de Caridade de São Luiz Gonzaga. Editor e dono do blog Madruguei Desatinado (www.madrugueidesatinado.blogspot.com).

Email: gunthersott@hotmail.com

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Günther de Menezes Sott