23/03/2012 às 17:07
A mobília do meu quarto

Por quem a gente muda?

Muda de gosto, opinião, estilo, aparência?

 

Mudar sempre parece uma ideia interessante, ainda mais quando se está de saco cheio da forma como tudo está indo.

 

Quando penso nisso, sempre me vem a cabeça os móveis do meu quarto.

Acho interessante esse negócio dos móveis!

Por exemplo: eu não consigo ficar muito tempo com o quarto do mesmo jeito. Meu quarto é pequeno, acho que só consegui, em 17 anos nesse apartamento, fazer três diferentes tipos de “arranjamento” da mobília. Isso significa que eu mudo e mudo as coisas de lugar, mas teoricamente elas não mudam nunca.

Tem o guarda-roupas, que é a principal peça do quarto. Tudo gira em torno dele. Tive que pensar muito antes de escolher o lugar certo. Cuidei o local das tomadas, da janela, e da porta. Isso é muito importante, pois um guarda-roupas não se pode arrastar, como uma cama, ou uma cadeira, então eu sempre deixo-o no mesmo lugar, intocável. Na parede do menor lado do retângulo.

Do outro lado tem a janela, e embaixo dela, a mesa de estudos.

Na parede leste, a cama. Na outra, um sofá.

Eu acho que demoro cerca de 7 meses para enjoar do local das coisas, e aí mudo para o jeito que estava 14 meses atrás.

Engraçado é que quando eu arrumo, penso que a “nova” distribuição é a melhor possível.

Depois enjoo, e segue o ciclo.

Sempre que eu estou fazendo as mudanças, penso se as pessoas também podem ser assim: mudar, e mudar e mudar, e, em certa altura, perceber que voltaram a ser os mesmos que um dia tentaram não ser.

E mais: acreditar que aquele é, enfim, o melhor de si.

Então você percebe que perdeu tanto tempo tentando recomeçar pela motivação e lugares errados, até se encontrar de novo.

Pensando assim, soa impossível modificar as coisas. Mas não é.

Basta começar por onde sempre dá mais trabalho.

No meu caso, o guarda-roupas.

Em outros, você. 

Graduado em Biomedicina, com habilitação em Patologia Clinica. Plantonista no Hospital de Caridade de São Luiz Gonzaga. Editor e dono do blog Madruguei Desatinado (www.madrugueidesatinado.blogspot.com).

Email: gunthersott@hotmail.com

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Günther de Menezes Sott