23/05/2017 às 14:50
Casa arrasada

As últimas notícias sobre a política nacional justificam o título deste artigo. Pouca gente está escapando das denúncias veiculadas pela imprensa, e o mais revoltante é o festival de incoerências contidas nas manifestações dos diversos políticos (1.829 políticos de 28 partidos) mencionados nas últimas delações. Agora, o presidente da República apresenta dúvidas sobre o conteúdo e a forma das gravações que o comprometem. Será que não deveria também ter colocado essas dúvidas sobre os valores que a empresa diz ter dado para seus hoje adversários?
As maiores figuras da República estão citadas e/ou envolvidas: ex-ministros e ex-deputados presos, tesoureiros de partidos que foram governo também presos. Mas o pior de tudo, o pior mesmo, é perceber que há populares aplaudindo medidas contra os adversários e desmerecendo acusações semelhantes ou até piores quando se trata de seus companheiros políticos.
Hoje as frases mais ouvidas são: “não há provas”, “sou inocente” e “tudo foi declarado na justiça eleitoral”. Vejamos então: o fato de não haver provas, não quer dizer que o evento não tenha ocorrido, e ter declarado os gastos à justiça eleitoral não significa lisura na origem dos recursos. Nunca se poderia imaginar tanta gente envolvida em tantas denúncias.
O que parece mais certo em tudo isso é que estamos vivendo um verdadeiro pesadelo político e que tudo isso precisa ser esclarecido para que o povo volte a confiar na política, para que a economia volte a crescer, os empregos sejam devolvidos aos que desejam (e precisam) trabalhar e a paz possa enfim reinar na sociedade. Mas, para isso, muitas perguntas ainda precisam ser respondidas e muitos políticos precisam responder por seus atos. Acho que vai faltar cadeia para tanta gente. É casa arrasada mesmo.
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Jauri Gomes de Oliveira