28/08/2017 às 17:04
Situação preocupante

Nunca pensei que iria ver o que hoje acontece nos altos escalões desta pobre república brasileira. Representantes das mais altas camadas da vida pública nacional são denunciados por corrupção e aí se ouve e vê os companheiros dos denunciados dizendo que houve injustiça em relação aos seus parceiros e aplaudindo e festejando quando a denúncia é contra os outros, os seus adversários políticos (se bem que hoje já está tudo meio embolado e quem era adversário ontem, por conveniência ou dependendo do tamanho da bolada, vira amigo de infância e companheiro de todas as horas). Essa incoerência chega às raias da canalhice, e isso é revoltante para quem vê a política como uma saída honesta e honrada.
As acusações atingem presidente e ex-presidentes da república. Isso nunca havia acontecido na história deste país. Para complicar ainda mais esse quadro, vemos discordâncias entre membros do judiciário e parece que até entre Ministério Público e Polícia Federal. É, como se costuma dizer, “briga de cachorro grande”. No âmbito do legislativo, essa discordância de opiniões é normal (pois lá estão representados partidos diferentes), mas menor; nas outras áreas, porém, é preocupante por demais.
Acrescente-se que essa onda privatista patrocinada pelo presidente Temer também está no centro dos debates. Nesse caso, os defensores da privatização argumentam que essa medida é para pagar as dívidas da União. Já a oposição ao Governo Federal se posiciona contra essa medida, mas enquanto eram governo, pagaram regiamente ao FMI e ficaram pagando juros mais altos do que pagavam e aumentando a dívida interna. Será que agora isso também vai se repetir neste governo?
E, quanto aos funcionários das estatais privatizadas? Serão privatizados também? Irão para a “escrita” da empresa compradora ou permanecerão no passivo do governo federal? Ou se transformarão em funcionários fantasmas? Ou irão entupir os gabinetes de órgãos públicos que já têm tantos funcionários que nem sabem o que fazer? Ou quem sabe irão compor com aqueles outros 10.000 o populoso plantel do Senado federal para atender aos caprichos dos 81 senadores da República (tão falida). Afinal, sem conhecimento completo dos números, pois parece que o tal Portal da Transparência não é tão transparente assim, fica difícil e até perigoso emitir opinião. Mas que isso tudo é muito preocupante, isso é. Até quando vai nossa paciência?
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Jauri Gomes de Oliveira