24/10/2017 às 16:35
Ruas para mobilizar, urnas para decidir

Jauri Gomes de Oliveira – Deputado Emérito

Embora intensa na internet, a pregação golpista sob o apelido de intervenção militar parece não encontrar apoio popular, nem aceitação no próprio ambiente da caserna. Quem viveu intensamente 1964, sabe que já vimos não ser cumprido prazo para devolução do poder.
Apesar de tudo, sabemos que a ala de Castelo Branco apoiada por Ernesto Geisel não conseguiu evitar que a “linha dura” adotasse medidas como o impedimento de Pedro Aleixo para assumir a presidência quando Costa e Silva adoeceu.
O livro História indiscreta da ditadura e da abertura – Brasil 1964-1985, de Ronaldo Costa Couto, publicado pela Editora Record, 2ª edição (1999), cuja leitura concluí esta semana, permite mergulhar nessa história recente do Brasil e descobrir detalhes muito interessantes, e particularidades que somente aqueles que conviveram muito perto do centro do poder são capazes de saber e de divulgar.
Costa Couto reúne essas condições, pois foi jornalista, professor e pesquisador universitário. Economista pela UFMG é doutor em História pela Universidade de Paris-Sorbonne. Foi Secretário de Estado do Rio de Janeiro (governo Faria Lima) e de Minas Gerais (com Tancredo Neves). Foi Ministro do Interior (1985-87) no governo Sarney, cargo que acumulou com o de Governador de Brasília no início de 1985. Além disso, foi Ministro-Chefe do Gabinete Civil da Presidência da República (1987-1989) e é autor de vários textos técnicos e do livro Tancredo vivo – casos e acasos, também publicado pela Record em 1995. Esse autor é mineiro da cidade de Luz, e nasceu em 1942.
Em seu livro, esse escritor relata detalhes do que aconteceu nos porões da ditadura. Fica-se conhecendo, então, que tanto no meio militar como no civil, havia lideranças pela redemocratização e outras pela prorrogação e endurecimento do regime sem tempo para acabar. Percebe-se também que se ama a liberdade quando se perde a que antes havia.
É preciso lembrar que, embora a bibliografia sobre o período de governos militares seja vasta e minuciosa, faltava uma obra como esta escrita por Ronaldo Costa Couto e que apenas agora tive oportunidade de ler (e essa é uma das vantagens de ter bastante tempo disponível). Graças à segura formação acadêmica desse autor e a sua participação política em vários espaços de atuação, o autor escreveu uma obra abrangente, densa e bem documentada. O resultado é um enredo histórico muito bem elaborado e cuja leitura agrada e esclarece muito o leitor.
Depois dessa leitura, fica cada vez mais claro que temos de usar as ruas para mobilizações em favor de nossos direitos e contra o que não estiver certo do ponto de vista da ética e do respeito à coisa pública e, depois, utilizar as urnas para decidir sobre um governo correto, honesto e que trabalhe pelo Brasil e pelo povo brasileiro.
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Jauri Gomes de Oliveira