23/01/2018 às 14:45
Incoerências ideológicas e /ou religiosas

Jauri Gomes de Oliveira – Deputado Emérito

Observando comportamentos a respeito das posições que assumem sobre partidos políticos e religiões, percebe-se uma grande incoerência na base dessa realidade. Para tentar exemplificar essa afirmação, lembro aquela situação de quem se diz socialista, mas ao chegar ao poder, cerceia as liberdades políticas do povo... Ou naqueles outros casos em que as pessoas se dizem cristãs, mas defendem abertamente o capitalismo...
Para deixar mais claras essas afirmações, convém relembrar algumas passagens bíblicas que permitem aprofundar essa reflexão: “Ganharás o pão com o suor do teu próprio rosto” (Gênesis, 3:19); “Quem não ama o próximo que vê, como amará a Deus a quem não vê?” (Salmo 147, João 4, 16-21, Mc 1, 7-11); “Ama o próximo como a ti mesmo” (Mateus, 22, 37-39).
Analisando as passagens acima e muitas outras, percebe-se que várias delas harmonizam o cristianismo com algumas teses do socialismo, mas não com capitalismo de Estado como aconteceu e acontece em alguns países. O capitalismo, entretanto, vigente na maioria dos países, prega liberdade, mas oprime quem trabalha e, a continuar, se estenderá a dependência de pais para filhos que vão trabalhar para os patrões, permitindo que os futuros patrões cursem o ensino superior enquanto o assalariado enfrenta enormes dificuldades nesse campo da atividade humana.
Em resumo, penso que a religião e a política não devem ser profissão e que a pessoa não pode ter posição conflitante entre os ensinamentos de sua religião e o que diz o programa de seu partido.
Infelizmente, a incoerência hoje está institucionalizada e começa em casa, pois “com certeza” significa “acho que”; “estou indo” significa “estou pensando em ir” e assim por diante... Ó tempos!
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Jauri Gomes de Oliveira