22/03/2018 às 09:08
Onde está a sua atenção?

Havia um tempo, recente para os padrões da humanidade, em que depois de uma boa formação, acompanhar o jornal, o noticiário do rádio e eventualmente revistas especializadas era suficiente para manter-se razoavelmente informado sobre a vida, a política, a economia, a profissão e os negócios. Com o aumento significativo do número de jornais e revistas, físicos e online, canais de televisão abertos ou por assinatura, email, e redes sociais com circulação de conteúdo, há infinitamente mais o que acompanhar do que a atenção humana permite.
Os veículos de comunicação em seus meios tradicionais e digitais sabem que há público para todo o tipo de informação e conteúdo e por isso, ampliam a captação, produção e oferta de opções para seus públicos. Para os públicos, o desafio é desenvolver a capacidade de selecionar o que, quando e onde ler, ouvir ou assistir. Os meios para acompanhar informações e atualizar-se em conteúdos, estão cada vez mais variados, mas o desafio é selecionar os temas em que vamos dedicar nossa atenção e tempo. Numa fila de espera, numa viagem, no intervalo do trabalho, ou antes de dormir, pode-se ler, ouvir ou assistir conteúdos relevantes em qualquer lugar, a partir do smarphone, tablete ou notebook por exemplo.
Um tempo atrás, quem dizia que éramos reféns do que os veículos de mídia publicavam, até tinha onde sustentar sua tese. Hoje, com a multiplicidade de veículos impressos, canais de áudio e vídeotodas as tendências possíveis tem espaço para produzir, veicular e consumir informação e conteúdo. Pode-se escolher livremente o quê, quando e onde ver, ouvir ou assistir o que quisermos. O acesso não é mais desculpa ou argumento para estar desinformado sobre qualquer assunto. Hoje somos nós os responsáveis pela informação, notícia, conteúdo, conceitos e opiniões que acessamos, da mesma forma, que também somos os responsáveis pela propagação de determinadas notícias, opiniões e conteúdos compartilhados nos meios que temos disponíveis.
Os temas nos quais colocamos maior atenção tem mais impacto em nossa vida e de quem está ao nosso redor, como nossa família e colaboradores. Observe que muitas pessoas que gastam mais tempo assistindo e acompanhando noticiários, documentários e filmes sobre crimes e violência, tendem a serem mais inseguros, terem mais medos, e até protegerem muito mais a casa, por exemplo, mesmo vivendoem locais de baixo risco. Aqueles que acompanham mais novelas e futebol, tendem a ter estes como principais assuntos em conversas com família e amigos. Quem acompanha mais as mídias com foco em tragédias, crimes e desastres, também tende a ser mais pessimista com o futuro da sociedade do que aqueles que escolhem acompanhar as informações e conteúdos sobre as pesquisas, inovações, novos produtos, empreendimentos, descobertas, ou ainda, viagens inesquecíveis, belos lugares, bons exemplos, boas ações e outros.
Nossas ações, nossos argumentos e assuntos em momentos formais e informais são determinados por aquilo que escolhemos colocar mais atenção. Quem deseja entender melhor os negócios, a gestão, as práticas de sucesso em vendas, assim como quem deseja tomar melhores decisões sobre a economia, vida pessoal e profissional precisa escolhercada vez melhor as suas mídias e os canais que oferecem as informações e o conteúdode interesse. Assim como o seu corpo é definido pelo que você come, bebe e se movimenta, sua mente é determinada pelo que recebe de informação e conteúdo, e como você processa o conjunto.
Escrevo considerando o aumento da dificuldade em selecionar mídias e conteúdos relevantes aos nossos propósitos e com a intenção de indicar aos amigos uma reflexão sobre onde estão focando a sua atenção. Vejo amigos, familiares, estudantes, colegas, pessoas próximas que poderiam mudar os assuntos que dão o foco da sua atenção para serem mais criativos, mais inovadores, mais prósperos, mais eficientes e mais felizes. Espero contribuir com alguns.
Um abraço e até a próxima!
 

Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção.

É professor da Unijuí e convidado em diversas IES e sócio e consultor da Referenda Consultoria. Também é colunista de 9 jornais e revistas do interior do RS, blogs e newsletters e ainda é palestrante, pesquisador e escritor, com diversos artigos e 4 livros publicados nos temas planejamento, liderança, marketing e educação. 

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Marcelo Blume