25/04/2018 às 17:26
Extremismos

Ao entender um pouco a história da humanidade, o desenvolvimento dos povos, a construção e a destruição das civilizações, é possível se aprender muito sobre o momento, eespecialmente, se preparar para o futuro. Já que não é possível mudar o passado, precisamos aprender ao máximo com as lições que ficam. Com alguma presença nas redes sociais, é possível ler e ouvir cada dia mais manifestações extremadas a cerca do que é melhor para nossa sociedade e das soluções para nosso País.
Radicalismos e extremismos religiosos, ideológicos, econômicos, políticos, nacionalistas, de gênero ou qualquer que seja ele, no meu entender tem um papel fundamental e importantíssimo em todos os campos de estudo, principalmente para estender as fronteiras dos pensamentos, do status quo, dos paradigmas e em especial ampliar a visão das sociedades e das civilizações. Todavia, como a lei natural, conhecida no meio acadêmico como a terceira Lei de Newton, “para toda ação há uma reação oposta e de igual intensidade”. Em outras palavras, cada ação extrema que ganha força e abre fronteiras para um lado, estimula outraação com igual força no extremo oposto. Infelizmente, muita gente não se dá conta desta lei natural que afeta diretamente nossa vida.
Quando o extremismo chega ao centro do poder, seja pela radicalização momentânea da sociedade, seja pelo uso da força, ou pela via da coalização com as tendências de centro para ganhar votos, será uma questão de tempo para que suas ações façam o extremo oposto ganhar força de igual intensidade na busca do centro do poder, para fazer valer os seus valores.
Os extremismos vividos e presentes nos países que estão na pauta do noticiário provocam ações e reações de igual intensidade, assim como vemos surgir movimentos na sociedade brasileira que se recente de extremismos ideológicos que em parte, causaram o caos econômico e o desequilíbrio político. Dispensa comentar que nosso país necessita de um novo ordenamento político e social, todavia, tendo claro os efeitos nefastos do extremismo no centro do poder, não pode-se admitir que a solução será colocar o extremo oposto no poder. Nas próximas eleições é preciso prestar muito mais atenção em cada um dos nossos votos, e discutir, buscando esclarecimentos mútuos, dando uma contribuição real para mudança de rumos políticos, sociais e econômicos.É tão ou mais importante discutirem quem vamos votar para Presidente e Governador, quanto discutir em quem vamos votar para o senado, câmara ou assembleia.
Os próximos executivos precisarão fazer muito para tentar aumentar a credibilidade em nosso país, na economia, na política, nas instituições e suas propostas só poderão ser efetivadas, se aprovadas pelos parlamentares. A prática de distribuição de benesses legais ou ilegais, certamente muitas imorais, para aprovação de propostas nos legislativos precisa ser relegada a um passado do qual só temos que nos envergonhar. Os parlamentares que definem seus votos baseados no que vão receber para si ou até mesmo para suas comunidades, precisam ficar apenas para a história, naquele ponto em que vai ser ensinado o que nunca mais pode ser repetido.
Para a reflexão dos amigos leitores, deixo algumas questões que seriam ótimas para um bom debate:
- Este ano é hora de dar voto de protesto, ou voto de compromisso consciente com o País e o Estado?
- Um grupo radical/extremista seja do modelo anterior, ou do extremo oposto teria apoio necessário dos parlamentares para aprovação de medidas e soluções que o País precisa?
- Você está discutindo com as pessoas próximas tanto as preferências devotos para deputado estadual, federal e senador, quanto para Presidente e Governador?
É certo que não cabe aqui manifestar minhas preferências e voto, mas é minha intenção questionar quem defende os extremistas no centro do poder, sejam eles quais forem,como solução para nosso país que tenta se reerguer a duras penas para seu povo tão sofrido.
Um abraço e até a próxima!

 

Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção.

É professor da Unijuí e convidado em diversas IES e sócio e consultor da Referenda Consultoria. Também é colunista de 9 jornais e revistas do interior do RS, blogs e newsletters e ainda é palestrante, pesquisador e escritor, com diversos artigos e 4 livros publicados nos temas planejamento, liderança, marketing e educação. 

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Marcelo Blume