12/07/2018 às 15:49
Mudar é um grande desafio

 A todo o momento se lê e ouve, que tudo está mudando. Alguns se surpreendendo com a mudança, outros admirando, outros aproveitando, outros ainda se perdendo por causa das mudanças. Há por outro lado, os que estão fazendo as mudanças, e não são poucos. Embora, em muitos discursos, textos e palestras, possa parecer que mudança é algo dos tempos atuais, pode-se ver na frase de Heráclito (cerca de 540-470 a.C),"Tudo muda, exceto a própria mudança”, uma orientação fundamental para as pessoas que seguiam seus pensamentos, e ainda muito atual.

Que tudo vai mudar, é a única certeza que temos, todavia, a história da humanidade mostra que sempre haverá os que não querem mudar. Pior que isso, parece que se desejam resultados diferentes, mas não se aceitam as mudanças necessárias para que os resultados sejam efetivados. Claro que há quem deseja apenas os resultados que o beneficiam, sem avaliar consequências para os outros e os efeitos colaterais.

No livro Miopia Corporativa, de Richard Tedlow, é possível ler:"A negação diante da mudança, típica característica de nosso modo de agir, é muito comum, sobretudo em empresas de trajetória bem-sucedida. Quando estamos satisfeitos e felizes, é tentador organizar nossa percepção da realidade de maneira que as condições que nos levaram a ela pareçam parte natural da ordem do mundo". Tedlow, baseado em seus estudos, e em outros autores e pesquisas, mostra que é natural para os seres humanos negarem a mudança, entendendo que quando as condições atuais são consideradas satisfatórias pelo indivíduo, tende-se a rejeitar as propostas de algo diferente do que está vigente.

Em boa parte das vezes, a dificuldade em assumir riscos que são inerentes de qualquer mudança, é que gera a dificuldade em aceitar a mudança, assim como a dificuldade em propor as mudanças necessárias. Racionalmente, é preciso mudar para sobreviver, todavia, a busca da necessidade de segurança aumenta a tendência de manter tudo como está. As espécies que sobreviveram ao longo das eras, são aquelas que melhor se adaptaram, assim como as empresas que alcançam 50 ou 100 anos são notadamente aquelas que melhor se adaptaram as mudanças ou as que criaram as mudanças em diferentes épocas. Os profissionais que admiramos por suas carreiras longas e promissoras são também aqueles que melhor se adaptaram ou criaram as mudanças ao longo do tempo. Todavia, parece que é mais difícil mudar para quem é bem-sucedido, tanto profissionais, quanto empresas. A prosperidade traz acomodação e com ela, a resistência a mudança, elevando justamente o risco de sucumbir diante de mudanças do ambiente. Gerar mudanças depois que as dificuldades se instalaram, exige mais energia, planejamento e velocidade. Contudo, só é possível adaptar-se e/ou criar mudanças, adaptando a forma de pensar e agir.

Toda a mudança requer algum esforço, tolerância e disposição para deixar o conforto e assumir determinados riscos. Acompanhar as tendências e mudar constantemente proporciona melhores condições de evolução para empresas, sociedades e profissionais. Aguardar fatos importantes e contundentes, para só então proporcionar grandes mudanças exige grandes esforços, causando impactos de igual proporção, na vida de muitas pessoas.

Acompanhar as mudanças e mais do que isso, ser protagonista de mudanças não só gera esperanças nos outros, como renova as energias de quem está próximo, mas sobretudo, amplia o legado de quem proporciona as mudanças.

 

Um abraço e até a próxima!   

Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção.

É professor da Unijuí e convidado em diversas IES e sócio e consultor da Referenda Consultoria. Também é colunista de 9 jornais e revistas do interior do RS, blogs e newsletters e ainda é palestrante, pesquisador e escritor, com diversos artigos e 4 livros publicados nos temas planejamento, liderança, marketing e educação. 

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Marcelo Blume