04/04/2019 às 16:16
Uma nova história
É preciso escrever uma nova história no País e um dos principais pontos é a formação profissional. O País tem muitos recursos, entre eles os naturais e humanos, porém falta profissionalismo e boa gestão para conduzir e articular o conjunto de forma adequada. As evidências destas necessidades são irrefutáveis e abundantes.
Com o volume de desemprego, além de acelerar a economia para aumentar o número de vagas de trabalho, é preciso preparar profissionais com capacidades não robotizáveis, para que possam fazer aquilo que não pode ser automatizado, pela tendência cada vez mais forte.Para isso, obviamente são necessárias várias mudanças que vão desde o entendimento das famílias enquanto conselheiras sobre opções de trabalho e profissão dos filhos, bem como dos trabalhadores a respeito da sua formação, das organizações e também das instituições de educação profissional e superior. É preciso uma revisão de competências conceituais, metodológicas, pedagógicas, avaliativas e técnicas específicas. Os estudantes e os profissionais devem desenvolver maior capacidade de abstração, análises, capacidade de tomada de decisão, e investirem em melhoria de sua criatividade, pensamento e atitude inovadora, habilidades de relacionamento e rigor cognitivo. Profissionais com estas habilidades não serão substituídos tão cedo. Esta realidade está transformando o mundo do trabalho,e confronta os profissionais independente dos anos de atividade que possuem com novos desafios e novas situações de trabalho que ainda não haviam vivenciado.
É preciso que em casa, na escola, na faculdade e no ambiente de trabalho se eduque para a vida e para a realidade deste novo mundo do trabalho. A formação profissional não pode ficar somente com as instituições de ensino. Os valores precisam vir de casa, os conceitos e práticas precisam vir da instituição, os empregadores precisam completar a formação específica conforme as características da empresa e os profissionais precisam entender-se como aprendizesde forma continuada e ao longo da vida profissional.
Não existe futuro sem planejamento e sem organização e isso vale para famílias, empresas, instituições e profissionais. Algumas reflexões que circulam pelo mundo afirmam que o verdadeiro sábio é aquele que nunca para de buscar o conhecimento. É preciso refletir sobre como os nossos filhos, sobrinhos, amigos estão praticando e planejando o futuro profissional. As máquinas estão aprendendo e estão sendo programadas para aprender em cada novo procedimento que realizam. As notícias sobre a inteligência artificial que transformam softwares e máquinas em equipamentos com incríveis capacidades de aprender com cada movimento, cada ação solicitada, cada uso, são abundantes. Esta realidade oportuniza emprego para muita gente que programa e constrói as máquinas, mas vai substituído o emprego de muita gente que faz o trabalho operacional que está sendo substituído. Surge então a pergunta sobre como cada um de nós, está programandoo cérebro e o corpo para o aprendizado e a adaptação a cada dia?
As instituições formadoras, as empresas, as famílias e os profissionais precisam escrever uma nova história, pois a indústria 4.0 gerou uma realidade que exige novos profissionais, ou seja, aqueles que estão em constante transformação.
Vemos muitos movimentos solicitando mudanças, mas equivocadamente ao meu ver, por ter cobranças de parte a parte sempre para os outros. Enquanto cada parte entender que o problema é do outro e não muda a si mesmo, há poucas chances de melhora. As famílias querem que as escolas mudem, enquanto as escolas pedem que as famílias mudem, ao mesmo tempo em que os profissionais pedem mais vagas de empregos e as empresas querem profissionais mais qualificados. O cenário exige mudanças nas pessoas, nas famílias, nos profissionais e nas organizações empregadoras para reduzir a tendência de alta do desemprego e desalento profissional. Nesta era da informação, ou da indústria 4.0, como quisermos chamar, todos precisam se preparar para as mudanças dinâmicas, de relações e de comportamentos e sistemas.
Com estas breves palavras convido a uma reflexão em suas casas e em suas organizações.
 
Um abraço e até a próxima!
 

  

Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção.

É professor da Unijuí e convidado em diversas IES e sócio e consultor da Referenda Consultoria. Também é colunista de 9 jornais e revistas do interior do RS, blogs e newsletters e ainda é palestrante, pesquisador e escritor, com diversos artigos e 4 livros publicados nos temas planejamento, liderança, marketing e educação. 

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Marcelo Blume