14/01/2015 às 16:15
“Você faz suas escolhas e suas escolhas fazem você.” Steve Beckman

Evite os extremos!

Uma das leituras deste período de férias foi Ralph Marston, pensador que também edita “The Daily Motivator” e dentre vários textos que me chamam atenção é “Extremos”. A leitura fácil e rápida me levou a pensar nas minhas atividades, mas também em conhecidos, amigos e familiares. O texto lembra que mesmo as melhores coisas da vida podem deixar de nos fazer bem, quando são levadas ao extremo. Muita gente lida com aquilo que gosta como se mais fosse melhor, todavia, isso raramente é verdade. Veja por exemplo, que alguns dias no seu local preferido para as férias é ótimo, mas depois de vários dias os problemas começam a aparecer com maior volume e evidência.
      Sabendo que para quase tudo em nossa vida existe um limite, é lógico que “mais” não significa “melhor”.  Marston diz que nem sempre estamos com o foco correto quando queremos mais, pois muitas vezes na verdade o que queremos não é mais do mesmo e sim, aquilo, melhor. Um exemplo, seria quando temos fome e comemos mais, na verdade, estamos precisamos é de comida mais nutritiva e/ou mais saborosa. Outro exemplo é quem já tem bastante e quer muito mais dinheiro, deveria lembrar que esse esforço seria mais bem investido se gastasse o que já tem com mais sabedoria. Outra situação clássica são aquelas pessoas que já são elogiadas por sua beleza e seguem fazendo tratamentos, cirurgias, e outros, mas precisam na verdade é de melhor estima, sabedoria e qualidade de vida, não de mais tratamentos de beleza.
      No fundo, todos sabemos que quem está constantemente buscando mais e mais e mesmo assim nunca está satisfeito, é porque provavelmente nunca vai se satisfazer com aquilo. Para Marston, conseguir mais é sempre uma resposta óbvia e simples, mas isso não significa que seja a resposta certa. É preciso substituir a busca incessante pela quantidade pela busca da qualidade. Quando você se der conta de que está precisando ir ao extremo para conseguir mais, avalie se não seria melhor mudar um pouco de direção, buscando coisas diferentes e melhores para sua vida. Experiências diferentes, desconhecidas até, são sempre aprendizado e isso pode ser melhor do que ter mais daquilo que você já conhece. Uma vida rica é uma vida diversificada de condições, fatos, experiências, erros e acertos, fracassos e vitórias.
      A qualidade pode existir independentemente da quantidade, pois mais do mesmo, mesmo que seja de uma coisa boa, não significa melhor. Ao invés de preocupar-se com conseguir mais, para ser mais feliz, ter uma vida rica, da qual possa se orgulhar no futuro, invista toda essa energia procurando o melhor para você, para sua vida e para quem está próximo de você.
    Reforçando o desejo de um ano iluminado de esperanças de dias melhores para todos nós,  deixo um grande abraço!


GESTÃO, NEGÓCIOS & CIA – Marcelo Blume




Marcelo Blume é Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção. Vice-diretor da FAHOR e professor convidado em diversas IES, também é sócio e consultor da Referenda Consultoria, palestrante, pesquisador e escritor, com artigos e 4 livros publicados na área de gestão.





 

Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção.

É professor da Unijuí e convidado em diversas IES e sócio e consultor da Referenda Consultoria. Também é colunista de 9 jornais e revistas do interior do RS, blogs e newsletters e ainda é palestrante, pesquisador e escritor, com diversos artigos e 4 livros publicados nos temas planejamento, liderança, marketing e educação. 

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Marcelo Blume