04/09/2017 às 15:06
PÁTRIA! ONDE ANDAS?

PROCURA-SE:
Uma terra onde seres humanos convivam num ambiente de cordialidade, fraternidade.
Crianças saudáveis, bem nutridas, vacinadas, alegres, brincando com bola, cantigas de roda, lendo livros, com pais responsáveis.
Adolescentes tranquilos, não subordinados a celulares, algazarra típica juvenil, todos na escola, família presente assessorando, vivendo o hoje, já perscrutando o profissionalismo do amanhã.
Mulheres adultas, realmente, assumidas como tal, jornada de trabalho, embora dupla, mas colocando em primeiro lugar sua família: filhos e pais.
Homens adultos, procurando melhorar as condições de sua família, alegria de viver em um país livre, onde possam, a cada dia, adquirir mais conhecimentos, vivências com um crescimento interior gradativo.
Senis com um local para morar, ver crescer netos, bisnetos, com uma assistência familiar e, facilmente, alcançar meios para a manutenção de sua saúde, como alimentação, lazer, medicação necessária para amenizar doenças que, fatalmente, irão aparecer.
ONDE ANDAS, OH PÁTRIA?
Nas zonas urbanas, com água potável de farta distribuição, rede de esgotos bem planejada, praças floridas, parques em todos os bairros para a prática de exercícios físicos, ou mesmo, esportes coletivos; nas calçadas, arborização específica para não levantar suas pedras; num Poder Executivo e Legislativo, justificando o porquê de suas vitórias eleitorais; num Judiciário em equilíbrio, onde paz, honestidade e justiça, seja suas metas; num bem estar coletivo onde o individualismo não impere.
Nas zonas rurais, com infraestrutura, voltando a era do ‘ar livre e saudável no campo’; estradas vicinais cuidadas para que esta população possa se deslocar com facilidade e fique residindo no campo; escolas rurais onde o ensino ‘não é de faz de conta’.
PÁTRIA! POR QUE CHORAS?
Pela impunidade, pela corrupção dos humanoides.
PRECISA-SE: varredura no país.
REALMENTE: “Não verás nenhum país como este” (Olavo Bilac).
 

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti