12/12/2017 às 15:13
UM GRÃO DE AREIA

Até poderia pensar em estrelas num pisca-pisca incessante no firmamento.
Células do corpo humano?
Aves sobrevoando?
Insetos visíveis ou ocultos em toda parte.
Bilhões da ‘Lava Jato’.
Bilhões de humanos no planeta Terra.
Gigantes são as possibilidades de sobrevivência neste universo.
Uma luta, corpo a corpo, na vida cotidiana.
Pessoas se desencontrando.
Aves se chocando próximas às rotas de aviões.
Fugas de sua terra natal para outro país, suspirando por uma vida digna. Aspiração difícil.
E a natureza reagindo. Calma? Não! Pior. Eta mundo doido!
A tentativa de equilíbrio somente se consegue através de pensamentos e ações humanas.
Pequenas coisas podem (e devem!) ser realizadas.
Um grão aqui, uma estrela brilhando ali...
Células governadas por cérebros privilegiados, perfazendo descobertas úteis.
Livros não apenas ornamentando bibliotecas estagnadas no tempo. Livros falam. Marionetes humanas os esquecem, focados em mídias eletrônicas. Futilidades sobressaem. Mentiras. Juízos. Correntes malignas. Olhos cansados, dedos ágeis, cérebros robotizados e automatizados para fantasias sem nexo. Ainda bem que existe algo bom. A comunicação. Fotos. Família. Natureza. Sol nascente ou poente. Música. Arte.
Políticos conscientes estão saindo da pasmaceira. O setor público se alia ao particular, ao coletivo. Ações surgem. Os grãos de areia, vão se multiplicando aliados à discreta supervisão do brilho das estrelas.
Entre nesta poeira cósmica de intenção e ação. Mexa mãos. Aguce o cérebro. Não naufrague. Os grãos de areia estão em contínuo movimento.
Saia da sua idiota zona de conforto. Imobilidade dá doença. Você é grão de areia que se junta a outros, formando uma imensa duna.
 

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti