19/03/2018 às 15:30
ENCLAUSURADOS

Psiquiatras, psicólogos, educadores, devoram, diariamente, páginas à procura de meios, programas para colocar mentes enroladas neste carrossel cotidiano, a seguirem um caminho de equilíbrio e novos estímulos para poderem tocar a vida com alegria, sem grandes aventuras, paz no coração. Dá um trabalho colocar na cabeça, que se ‘acha’ pensante, olhar para outras pessoas com problemas maiores e ainda exibem um semblante sereno. Não ficar fechado dentro de sua prisão emocional, relatando somente episódios funestos, doenças, eu, eu, eu...
Num mundo, onde a violência pula muros, tem-se que fechar as janelas e portas para que diminuam ocorrências cada vez mais trágicas. Isto vai tornando as pessoas com medo, insegurança e dê-lhe tratamentos psiquiátricos.
A mídia, por inúmeras vezes, estimula a violência, relatando, comentando, reprisando programas com facetas horripilantes. Não será mais um meio violento estimulador?
O sol se põe. Com ele, a multidão vai desaparecendo das ruas. Em cidades maiores, a clausura aumenta. E quem precisa estudar à noite? Ou trabalhar?
As causas da violência podem estar dentro da própria casa. Violência doméstica. Na rua. No trânsito. Na cor da pele. Na religião. No poder econômico. No meio político. No uso de drogas. Sexual. Nas armas. Até a natureza resolveu se manifestar! Vulcões, terremotos, enchentes, secas, vendavais, raios. Ela grita...
Apontar causas, consequências, todos são capazes. A solução? Sair, primeiramente, do egoísmo, de valores meramente materiais, de belezas artificiais, da não valorização das pessoas. Cumprir regras de convívio em sociedade. Sair de seu mundinho. Tornar o ambiente familiar, escolar, mais humano, mais trabalho na cultura da paz.
Não se pode deixar de nomear a perda do físico Stephen Hawking, que, com suas limitações, deu ao mundo centenas de ensinamentos para futuros cientistas. (E muitos ainda se queixam de quaisquer dores!).
Para fechar este texto, sentenças deste admirável cientista:
“Lembrem-se de olhar para as estrelas lá no alto, e não para seus pés lá embaixo.
Nunca desistam do seu trabalho. O trabalho lhe dá sentido e propósito, e a vida é vazia sem isso.
Se você for afortunado a ponto de encontrar amor, lembre-se de que ele está ali e nunca o jogue fora”.
Ajude a não violentar o mundo. Clausura? Somente para estudar para concurso.


 

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti