21/05/2018 às 16:38
SE TENTA

Eta vida passageira!
A infância passa num galope, corcoveando os passos, primeiramente tímidos, após a corrida. Esta vai desenfreada por mundos obscuros, na busca de escrever páginas, que signifique um clarear de rumos, realmente, claros como um amanhecer, aguardando a chegada do rei sol. Tenta-se não perder o brilho do dia e, ansiosamente, esperar o pisca-pisca das estrelas e do romântico luar.
Se tenta adicionar na memória, despretensiosamente, os doces da vovó, as cantigas de roda, o sussurrar de cada animal, a beleza multicolor das flores, os joguinhos das cinco Marias, o bilboquê, a sapata, pular corda, imitar ginastas de circo, pega-pega, esconder-se, bodoque, o caçador, orticã. Eta tempinho bom!
E, pela convenção da idade, se chega à adolescência.
O grupo de danças, as músicas, o esporte, o namoro, escolha de profissão. Eta tempo de mil ideias! Algumas proveitosas, outras ficam no computador cerebral. E, pela frente, a tal de vida adulta.
Tenta-se de mil maneiras fazer retrocesso físico. Surge a moda que estraçalha muitas mulheres. Mil adjuvantes para contornar a beleza física que, fatalmente, vai se esvaecendo. Natural, pois a vida continua seu rumo.
Mas ‘Quando a alma está feliz, a prosperidade cresce, a saúde melhora, as amizades aumentam, enfim, o mundo fica de bem com você! O mundo exterior reflete o universo interior’. Gandhi.
Tenta-se atingir o topo, desenfreadamente. A vida vai dando respostas às indagações. O melhor, todavia, é subir degrau por degrau.
Gandhi ainda recorda que a felicidade não está em viver, mas em saber viver. Não vive mais o que mais vive, mas o que melhor vive.
A chegada à casa dos setenta, remete a anseios de cada vez sorrir mais, amar mais, cultivar amizades, tentar buscar sempre algo mais que dê crescimento à vida.
Segundo João XXIII, o Papa da bondade, ele apregoou ‘Não consulte seus medos, mas suas esperanças e sonhos. Não pense sobre suas frustrações, mas sobre seu potencial não desenvolvido. Não se preocupe com os fracassos, acredite naquilo que você ainda realizará’.
Tenta-se chegar aos setenta com amigos, muita alegria e um vislumbrar de um futuro colorido, dinâmico e cabeça pensadora e...se tenta ter setenta.


 

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti