13/11/2018 às 11:00
MUNDO MELHOR

 

 É possível. Comece dentro de você. Deixe de lado as mínimas discordâncias de opiniões. Aceite os pontos defendidos pelo interlocutor. Inexistem pessoas iguais de pensamento. Pode seguir uma linha de ideias semelhantes, mas as conclusões não são idênticas.

         Para resolver questões matemáticas ou físicas, o desenvolvimento do processo pode ser diferente, embora se alcance um resultado final numérico igual. Tudo comprovado por A + B.

         Exemplo, na culinária, quando pessoas fazem pasteis. O resultado não confere. Detalhes diferentes. Fritura, massa, recheio, tamanho. Isto vale para diferentes pratos.

         Um mundo melhor soa possível.

         Encante-se com todos os requisitos que a natureza oferece. Olhe-se no espelho. Que ele diz? O semblante sisudo, alegre, tranquilo, pálido, olheiras. Dê um bom dia a você. As coisas vão se encaixando durante o dia. Assim se estabelece a vida.

         Para ter uma saúde melhor, basta aceitar (nem sempre fácil) a doença diagnosticada.  Por sinal, parentes próximos são mais difíceis perante esta nova etapa da vida em família.

         Exemplos não faltam de tranquilidade perante os vieses do corpo humano. Muitos fatores, por sinal, são procurados pela própria pessoa; tabagismo, obesidade, sedentarismo, mau humor, alcoolismo, drogas. Doenças geradas pelos próprios indivíduos.

         Cada vez a vida quantitativa está se prolongando. Qualidade de vida é o almejado. Administre seu corpo e sua mente.

         Alimentação adequada, exercícios físicos, convivência com amigos.

         Não traumatize seu corpo com cirurgias desnecessárias. Competição de corpo esbelto não prolonga a vida.

         Os gregos definiam o homem belo pelo tratamento dado a exercícios físicos rigorosos. Por isso quando se está frente a um homem bonito, surge a expressão: mas é um deus grego!

         Um mundo artificial pode estar surgindo.

         Um mundo melhor se faz com sentimentos, otimismo, trabalho e muita fé.

 

 

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti