03/05/2019 às 16:05
ÚTIL AO AGRADÁVEL
Desde criança, se aprende o dever, do trabalho escolar e tarefas domésticas, bem cumpridas. Os degraus vão se tornando mais exigentes com a progressão das idades. Horários, metas, cumprimento de ordens. O trabalho vai sendo exercido, primeiramente de maneira lúdica, após uma exigência da própria vida.
            Estudantes adolescentes não podem ser meros carregadores de livros (e de celulares!). Há uma rotina que exige o físico, o intelectual, o emocional. Acrescentam-se valores sociais como o companheirismo, caridade, prática de esportes. Os valores vão sendo adicionados ao longo da vida.
            O trabalho formal inicia. Cumprimento de ordens, horários, participar, crescer. Massacrante? Não! E se você não tiver emprego?
            Com as modificações previstas na Previdência, várias pessoas correm para a aposentadoria, nem sequer sabendo o conteúdo da tal lei. E também: aposentar-se para fazer ‘o que’? Deprimir? Via-sacra em especialistas, curandores, charlatães? Aposentar-se tendo em meta outro tipo de ocupação, diminui doença, melhora parte financeira, une o útil ao agradável.
            Enquanto adolescente, ou mesmo adulto jovem, a qualificação para o trabalho deve ser incentivada. Mais fácil será entrar no mercado de trabalho. Há diversas entidades que oferecem cursinhos nas mais diferentes áreas.
            O trabalho formal aposenta, mas o cérebro não pode parar.
            Nada a ficar dormindo até mais tarde. Levante cedo, faça alongamento, cante, olhe-se no espelho e viva a vida.
            Dificuldades sempre vão existir. E muitas. Não se deixe abater. Ocupe seu tempo.
            Torne agradável sua utilidade. Sua existência.
            Lembrar que: ‘Não fazer nada é o trabalho mais cansativo do mundo pois você não pode se demitir e descansar’. Thomas Paine.
            Ainda: ‘Descansar em demasia é oxidar-se’. Sir Walter Scott.
 
 
 
 

    

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti