09/03/2018 às 15:33
APAE de Roque Gonzales corre o risco de fechar suas portas

A direção da APAE de Roque Gonzales recebeu a senhora Ângela Rodrigues Colla de Almeida, coordenadora do 22°  Conselho da Federação Estadual das APAEs do Rio Grande do Sul, que tem jurisdição em 14 municípios da região. Também esteve presente na reunião a gerente administrativa da Apae de Santo Ângelo, Janira Mânica, com o intuito de esclarecer à comunidade a atual situação legal da entidade, com atuação no município há 18 anos.

Muito emocionada, a presidente da entidade, Mônica Reichert, abriu a reunião expondo aos presentes que a APAE encontra-se com suas contas irregulares. A falta de prestação de contas arrasta-se desde 2013, comprometendo a continuidade da prestação de serviços pela instituição. Sem essa regularidade, não se viabiliza a captação de recursos, principalmente do poder público. Atualmente, a prefeitura repassa o valor equivalente a R$ 11.000,00 anuais. O prefeito João Haas adiantou que, sem a situação legalizada, não poderá mais realizar os repasses.  Comprometeu-se, no entanto, a continuar realizando a oferta, caso a documentação seja colocada em dia.

Devido à situação que poderá resultar na extinção do órgão, foi decidida a instalação de uma comissão interventora, composta por Renê Leal (interventor), Delci Zimmer, Leonilda Fenner e Elisa Grutzmann da Silva. Esta Comissão terá o prazo de 60 dias para regularizar toda a situação da entidade, caso contrário será inevitável o seu fechamento. Com poucos sócios contribuintes, a APAE de Roque Gonzales não é autossustentável, necessitando do auxílio da Prefeitura.

 

 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Agricultura