15/01/2014 às 10:12
Tifton, uma novidade positiva no campo

Agregada a uma irrigação e adubação de qualidade, pode ser uma ótima alternativa para o campo, com capacidade de manejo para até 16 cabeças por hectare

Tifton, uma novidade positiva no campo
Tifton pode alimentar até 16 cabeças por hectare

O Tifton 85 é uma gramínea do gênero Cynodon spp, híbrido estéril resultante do cruzamento da Tifton 68 com a espécie Bermuda Grass, da África do Sul, considerada a melhor do mundo no gênero. Possui grande massa folhear e rizomas grossos, que são caules subterrâneos, responsáveis pela manutenção das reservas de carboidratos e nutrientes, que proporcionam a sua incrível resistência a secas, geadas, fogos e pastejos baixos.
Desenvolvida pelo departamento de agricultura dos Estados Unidos, em cooperação com a Universidade da Geórgia, na estação experimental de Tifton, foi registrada e liberada para plantio em 31 de outubro de 1992. Introduzida no Brasil a partir de 1993, vem resistindo e se mantendo verde diante das geadas e secas prolongadas ocorridas em 1994. Pode ser plantada tanto em regiões frias quanto em regiões quentes de clima subtropical e tropical, ou seja, em todo território nacional, em solos arenosos, mistos e argilosos (não alagados), devidamente corrigidos e adubados.

BOA OPÇÃO - Altamente indicada pela sua produção de massa verde, alta relação folhas/hastes, grande resistência e elevado valor nutricional, o Tifton 85 tem se mostrado uma excelente opção para pastagens na pecuária de leite, pecuária de corte, equinos, caprinos e ovinos. Praticamente uma ração a campo aberto. O Tifton 85 apresenta alta palatabilidade, digestibilidade e grande produção de massa verde. Segundo o zootecnista da Secretaria da Agricultura, Deodoro Dornelles, “é uma pastagem de três estações em nossa região, que são primavera, verão e outono. Aguenta altas rotações até 16 cabeças por hectare, tendo um ganho de peso que varia de 1,5kg a 2kg diários, desde que seja bem adubada e irrigada e apresente uma produção grande de cama verde”.
COMO FENO - Lembra Dornelles que “essa pastagem é para animais considerados de qualidade e padrão”. Frisou que “além de ser uma pastagem de três estações, pode muito bem servir como feno na estação do inverno, pois possui uma grande quantidade de proteínas. Isso faz com que haja uma grande disputa na compra deste tipo de feno, concorrendo muito com o feno de alfafa. Pode-se adiantar que já há várias propriedades da nossa região onde é produzido somente feno de Tifton 85, para ser comercializado. No momento, é considerado um bom negócio”,
FENAÇÃO - A fenação é um processo de desidratação, que transforma a forragem verde, que possui umidade compreendida entre 65 e 80% em feno, com teor de umidade entre 10 e 20%. O feno tem como característica preservar as qualidades nutricionais da forragem, no entanto, os cuidados para se obter feno de boa qualidade começam no campo, com o manejo da forragem. No caso das gramíneas do gênero Cynodon, os melhores fenos são obtidos de cultivares que possuem mais folhas do que colmo.
CULTIVARES - Destacam-se neste aspecto os cultivares Florarkik, Tifton 44, Tifton 85, Coastcross e Florico. O corte destas gramíneas, independentemente do cultivar, deve ser efetuado quando a planta alcançar o ponto de equilíbrio entre o teor de nutrientes e produção de matéria seca por unidade de área. O ponto de equilíbrio ocorre na primavera-verão, entre 5-6 semanas e 7-8 semanas, dependendo da região e do nível de fertilização nitrogenada.
O zootecnista Deodoro Dornelles diz que “para o inverno, muitos pecuaristas conhecedores de sua importância protéica, alimentam seus rebanhos para fazer a manutenção de seu estado corporal. Eles não deixam, desta forma, que o rebanho perca grande quantidade de quilo vivo na temporada mais fria. Sendo um feno que pode ser consumido com outras espécies de forrageiras, por exemplo, o azevém e a brachiana”.
PLANTIO - O Tfton 85 é uma pastagem favorável, podendo ser formada de 90 a 100 dias, desde que, a terra esteja bem preparada, conforme análises do solo. É plantada em forma de mudas, não sendo preciso grande profundidade. Atualmente, a implantação desta pastagem tem um custo aproximado de R$ 1.000,00 a R$ 1.500,00 a hectare. Existem empresas que fazem o trabalho do plantio especializado e os valores já vêem agregados. O financiamento, também, é uma ótima opção, é pode ser negociado com empresas bancárias locais. “Pode-se afirmar que os resultados desta gramínea superam os custos implantados, principalmente, se for colocados animais para engorda de qualidade”, conclui Deodoro.

 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Agricultura