19/05/2017 às 10:54
Estação Ferroviária passa por reformas para sediar serviços culturais do Município
Estação Ferroviária passa por reformas para sediar serviços culturais do Município
Fachada principal da Estação Ferroviária

A Estação Ferroviária de São Luiz Gonzaga está em reformas. A iniciativa é da Prefeitura Municipal, que recebeu a guarda do prédio, onde poderá instalar serviços públicos, enquanto perdurar essa condição.
O secretário da Administração, Alex Rodrigo Nunes, disse que os recursos para realizar a obra resulta de indenização paga pela ALL – América Latina Logística, que tem a concessão de toda a malha ferroviária gaúcha, sob a condição de fazer o escoamento das safras na região produtora de grãos. Como a planta da estrada de ferro concedida foi ocupada apenas parcialmente, o Ministério Público Federal determinou o pagamento de uma multa aos municípios não atendidos, regra prevista no contrato de concessão. Graças a isso, São Luiz Gonzaga recebeu da ALL, ainda no mandato do prefeito Junaro Figueiredo, R$ 844.729,00, que o mandatário da época destinou à reforma do antigo presídio, onde instalou vários serviços na área da assistência social. Também reformou e ampliou o Palco Cenair Maicá, na Praça da Matriz, e fez melhoramentos gerais no Centro Esportivo Cícero Cavalheiro. Agora, está sendo feita a reforma na Estação Ferroviária, onde a ocupação provavelmente será para serviços culturais, para a qual dispõe de recursos no valor de R$ 128.853,58. Foi feita licitação para contratação de empreiteira e, no momento, os trabalhos estão em fase de finalização. O secretário da Administração do Município, Alex Rodrigo Nunes, informou que possivelmente em 60 dias, a empreiteira entregará a obra pronta.
A REFORMA – A cobertura do prédio, que chegou a estar condenada, foi plenamente recuperada e construída uma chapada. A sustentação foi reforçada, nas vigas horizontais, com barras de ferro, em toda sua extensão. As paredes divisórias do antigo apartamento do Chefe da Estação foram em sua maior parte eliminadas. Restaram quartos e banheiros e um enorme salão. No andar térreo, todas as paredes que faziam a divisão do espaço foram eliminadas. Ali funcionavam uma sala de espera, o escritório com ponto de venda de passagens e, finalmente, um salão para o recebimento de cargas para o comércio.
O prédio tem duas sacadas, uma em cada extremidade, que ainda não foram reformadas. O mesmo acontece nas duas marquizes situadas nas fachadas do prédio, uma voltada para a área de estacionamento de veículos, e outra para as linhas férreas. Para ter acesso a estação férrea, é preciso usar as elevadas construídas com tijolos e concreto existentes nas duas faces do prédio, com quase um metro de altura, no ponto em que a diferença de nível é maior, e que também ainda não foi reformada. Portanto, ainda há muito o que fazer, o que inclui uma limpeza no entorno da Estação Ferroviária, que se encontra em estado de abandono.
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral