05/12/2018 às 08:21
Futuro governo de Jair Bolsonaro terá 22 Ministérios
Futuro governo de Jair Bolsonaro terá 22 Ministérios
Ministro Onyx Lorenzoni confirma estrutura ministerial

 O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou nesta segunda-feira (3), que o presidente eleito Jair Bolsonaro "bateu o martelo" e decidiu que a Esplanada dos Ministérios terá 22 pastas. Onyx Lorenzoni apresentou a estrutura ministerial durante entrevista coletiva concedida no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, sede do gabinete de transição.

Onyx Lorenzoni explicou a divisão de tarefas dos quatro ministérios que ficam no Palácio do Planalto: Casa Civil, Secretaria de Governo, Secretaria Geral da Presidência e Gabinete de Segurança Institucional (GSI). A Casa Civil responderá, segundo Lorenzoni, pela coordenação dos programas do governo, com a subchefia para Assuntos Jurídicos (SAJ) e articulação com o Congresso Nacional. O futuro ministro explicou que "um time" de ex-deputados e ex-senadores cuidará dos relacionamentos com a Câmara e o Senado.

A Secretaria de Governo cuidará da relação com estados e municípios e do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), o programa de concessões e privatizações do governo federal.

A Secretaria Geral da Presidência terá na sua alçada a Secretaria de Comunicação da Presidência e cuidará de assuntos sobre modernização do Estado. Falta definir quem comandará os ministérios do Meio Ambiente e Direitos Humanos.

 

Ministério do Trabalho extinto

O governo de Jair Bolsonaro irá dividir as atribuições do atual Ministério do Trabalho entre as pastas de Justiça, Economia e o Ministério da Cidadania. A informação foi do futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS) na última segunda-feira. O ministro confirmou que, como havia pedido Bolsonaro, o Ministério do Trabalho, criado em 1930 — primeiro ano de governo de Getúlio Vargas — vai ser extinto e suas secretarias espalhadas por outras áreas de governo.

Questionado sobre onde ficaria a fiscalização de condições de trabalho, como o combate ao trabalho escravo, Onyx disse acreditar que deve ir também para a Justiça. Há duas semanas, Onyx já havia informado sobre a decisão do governo em dividir as atribuições do Trabalho. Na época, a intenção era que uma parte ficasse com o novo Ministério da Cidadania e a outra, com uma Pasta da Produção, mas o futuro governo desistiu de criá-la.

 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral