29/01/2019 às 16:49
Projeto “Costurando Sonhos” obtém resultados positivos no Lar do Idoso

  

Na recepção para homenagear Irmã Sibila, pelo transcurso de 60 anos de vida religiosa, a diretoria do Lar do Idoso fez prestação de contas em torno da implantação do projeto “Costurando Sonhos”, que a presidente Néia Pasa revelou ser idealizado por Mara Rita Giacomelli, integrante do conselho diretor. Visava reunir voluntárias para os trabalhos de costura, especialmente em relação a consertos na rouparia dos idosos, cortinas, lençóis, colchas e fronhas. Lançada a ideia, não faltaram voluntárias e o grupo foi formado. Além da manutenção e recuperação do material já existente, ocorreu a doação do Hotel Cometa da rouparia dos quartos, feita periodicamente. Néia disse que cobertores, lençóis, colchas e fronhas, tudo em bom estado, foi recebido da familia liderada pelo casal Neli/José Gomes de Oliveira. Tudo foi reaproveitado, adequado às necessidades do Lar do Idoso.
 
 
Revelou a presidente do Lar do Idoso, a colaboração recebida do Sindicato Rural, através da vice-presidente Margarete Costa Beber, pela mobilização do Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, em favor do Lar do Idoso e da prof. Doroteia Saraiva de Oliveira, pelos ensinamentos transmitidos às voluntárias do grupo de costura, para renovar peças doadas e produzir peças de artesanato, a fim de criar renda capaz de garantir a aquisição de material para o desenvolvimento dessa atividade. O grupo aprendeu, informou Neia Pasa, citando o clima ameno e de alegre participação do grupo nas descobertas proporcionadas pelos ensinamentos recebidos. O primeiro caixa da seção de costura foi resultado de uma “vaquinha” das voluntárias, cada uma doando R$ 5,00 para a primeira compra de materiais, acrescida de uma ajuda do CRAS – Centro de Referência de Assistência Social, através da coordenadora Daiana Wenzel Lopes. A coordenadora da seção “Costurando Sonhos” é a voluntária Enedi de Matos, comerciária aposentada, depois de 32 anos de trabalho na Casa Cometa, que tem sido incansável no seu trabalho.
 
 
As primeiras peças produzidas, contou Néia Pasa, foram adquiridas por elas próprias, a preço de varejo. A partir daí, começaram a atender pedidos. Surgiu então nova necessidade, de máquinas e novamente foi o casal Neli/José Gomes de Oliveira que doou duas máquinas overlock e galoneira e mais linhas, botões e aviamentos diversos. Agora a produção de artesanato do Lar do Idoso é vendida no Brique da Praça da Matriz, no Lar do Idoso e até fora da cidade. É nesse clima de alegre participação que o Lar do Idoso vai atendendo suas necessidades e dando exemplos concretos de voluntariado. 
 
 
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral