24/04/2019 às 10:30
O veganismo ganha cada vez mais adeptos em São Luiz Gonzaga
O veganismo ganha cada vez mais adeptos em São Luiz Gonzaga
Sandra e o esposo Roger: vida mais saudável

O veganismo é uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade. A dieta é baseada em vegetais, livre de todos os alimentos de origem animal, como: carne, laticínios, ovos e mel, bem como produtos como o couro e qualquer produto testado em animais.

 

Pessoas que adotam o veganismo em suas vidas, ao contrário do que muitos pensam, comem muito bem e de forma variada. Existem centenas de alimentos naturalmente veganos como arroz, feijão, legumes, hortaliças, castanhas, frutas e muitos outros. Há também pratos tradicionais que não têm nada de origem animal em suas receitas originais. É o caso de muitas receitas árabes, brasileiras, italianas, mediterrâneas e orientais.
 
 
 
Sandra Mara da Silva Borges aderiu ao veganismo ao descobrir que tinha pedras na vesícula, e que teria que parar de consumir carnes vermelhas, leite e derivados e ovos. A partir daí, tendo o apoio do esposo, Roger, começou a descobrir novos sabores e a postar nas redes sociais os pratos que fazia em casa, tendo diversos elogios dos amigos. Foi aí que surgiu o “Vegan Missioneiro”, um cardápio completo de pratos veganos que podem ser pedidos e degustados pelos são-luizenses. Confira a história de Sandra:
 
 
AN – Quando você notou que a alimentação que seguia, precisaria ser mudada, para garantir a tua saúde? E quando percebeu que já estava entrando no vegetarianismo/veganismo?
SANDRA - Mudou tudo quando internei no Hospital por causa de pedra na vesícula, então fui ver o que havia causado a pedra, e o que poderia fazer para não sentir dor até operar. Vi que teria que parar com carne vermelha, leite e derivados e ovos. Comecei com sopas, mas uma hora enjoa sempre a mesma coisa, então fui buscando receitas para fazer e fui gostando de “descobrir” novos sabores, porque cada dia descubro novos sabores, e isso é maravilhoso, vindo de alguém que não era fã de cozinhar. E logo vi que havia me tornado vegana.
 
 
AN – Hoje tu se considera 100% vegana? E o teu esposo também entrou neste “mundo”? A mudança de dieta ocasionou perda de peso também?
SANDRA - 100% não tem como, infelizmente, pois não temos na cidade produtos (calçados, vestuários, acessórios, produtos de higiene), mas procuro ser a mais sensata possível para evitar de agredir o meio ambiente, mas na alimentação sou 100%, até mesmo porque hoje qualquer coisa vinda de animais meu organismo rejeita. Meu esposo resolveu me apoiar pois começou a gostar dos alimentos e me viu empolgada na cozinha, querendo ou não ele era a minha cobaia (risos). O meu esposo emagreceu 14 quilos em um mês, já eu 4 quilos em três meses e meio.
 
 
 
AN – E quando surgiu a ideia de comercializar produtos veganos? Como você pesquisou e elaborou teu cardápio? Hoje, como é a aceitação dos são-luizenses?
SANDRA - Eu postava os meus pratos no meu Instagram e umas amigas diziam que eu tinha que fazer para vender, pois eram muito bonito os meus pratos, então comecei a amadurecer a ideia, e hoje temos o Vegan Missioneiro. A elaboração foi na tabela nutricional. Sou muita grata pois estão aceitando muito bem, pois nisso descobri que existe muitos veganos e vegetarianos em nossa cidade, que se viam sem alternativas para lanches e refeições. Recebi muitas mensagem de mães e meninas assim que divulguei o Vegan.
 
 
 
AN – Há algum preconceito em relação a comida vegana ainda ou as pessoas aos poucos estão aceitando que ela é mais saudável para o organismo? Que pratos veganos você mais comercializa e recebe elogios de todos?
SANDRA - Por incrível que pareça, não tive preconceito não, as pessoas são curiosas por novos sabores e isso tem chamado a atenção delas, que estão provando e aprovando, e mesmo que estamos numa era onde se busca mais qualidade de vida e bem-estar. Os muffins, o hambúrguer (bifinho), Vegburguer, pão Vegano e a torta fria, são os que mais recebem elogios!
 
 
 
AN – Pretendem expandir o negócio com mais pratos? Como driblar a falta de produtos veganos na cidade para a confecção dos pratos? A dieta vegana, em relação a dieta convencional, pode ser considerada mais cara ou mais barata?
SANDRA - Estou em busca de novidade todos os dias, mesmo com a falta dos ingredientes, tem sempre um meio de fazer caseiros, dão mais trabalho, mas a satisfação em fazer e dar certo é maravilhoso. É elas por elas, pois ao deixar de consumir determinados alimentos, abre espaço para os novos, no final, o resultado pode ter uma diferença mínima de valores.
 
 
 
AN – Acha que o veganismo veio para ficar? É a tua proposta de vida a partir de agora? Deixe uma mensagem para quem deseja experimentar esta nova proposta de alimentação...
SANDRA - Sim, a maior prova disso é que a cada ano cresce o número de adeptos, que é reflexo do fato das pessoas estarem entendendo o posicionamento ético, que vai mais além de que uma dieta, mas sim, um modo de vida para melhorar tudo a nossa volta. Queria ter descoberto o veganismo antes, pois para mim, está sendo muito bom, e serve também como forma preventiva de doenças futuras, e tem muitos benefícios para a saúde para todos, desde hipertensos, diabéticos, perda de peso, intolerantes a lactose e glúten e quem busca qualidade de vida. Convido aqueles que ainda não provaram, que experimentem esse novo conceito de alimentação, não é sobre deixar de comer o que gosta e, sim, de comer sem trazer problemas à saúde.
 
 
 
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral