10/05/2019 às 17:01
Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente fará caminhada dia 17, próxima sexta-feira
Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente fará caminhada dia 17, próxima sexta-feira
Assistente social Valéria Castro e psicóloga Laura Remus, na visita ao jornal

Para marcar a passagem do Dia Nacional de Proteção ao Abuso e Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, a ocorrer no próximo sábado, a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente de São Luiz Gonzaga deverá realizar caminhada um dia antes, sexta-feira, nas ruas centrais da cidade, para informar a comunidade dessa ação permanente desenvolvida em defesa de menores de idade, muitas vezes alvos de direitos violados em todas as suas formas, mas especialmente sexual. A informação é da coordenadora do CREAS/SLG – Centro de Referência Especializada em Assistência Social, assistente social, Valéria Castro e da psicóloga do CREAS, Lara Remus, em visita ao jornal A NOTICIA.

 

A PROGRAMAÇÃO
A caminhada será sexta-feira próxima, dia 17, a partir das 8h. O ponto de partida será em frente ao Palanque Oficial da Praça da Matriz. O percurso será pelas ruas centrais, sendo finalizado novamente na praça, onde a equipe da Rede de Proteção irá fazer abordagem com o público que se fizer presente, com distribuição de material referente ao tema.
 
 
A REDE DE PROTEÇÃO
Valéria Castro e Lara Remus informaram que a Rede de Proteção é formada pelo CRES (Centro de Referência de Assistência Social), CREAS (Centro de Referência Especializada em Assistência Social), Conselho Tutelar, CAPS AD, CAPS II, DPCA (Delegacia de Polícia da Criança e do Adolescente), Fôro da Comarca, Ministério Público, Lar Escola, Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria Municipal de Assistência Social e Secretaria da Educação.
Os representantes dessas entidades e órgãos públicos, que constituem a Rede de Proteção, reúnem–se uma vez por mês para examinar uma pauta vinculada à Proteção da Criança e do Adolescente. O objetivo é tomar conhecimento das ocorrências registradas no período e a forma adotada para fazer o combate dos direitos violados e das consequências nas vítimas, bem como da punição imposta aos autores dos abusos constatados. As reuniões também se fixam nos exemplos, para melhorar o desempenho da Rede de Proteção. Essas reuniões renovam os compromissos de fazer a defesa das crianças e adolescentes, para que não sejam vítimas de pessoas destituídas de respeito humano e amor ao próximo. 
 
 
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral