17/05/2019 às 14:41
Concluída a negociação: Coopatrigo adquire o silo da Cesa
Concluída a negociação: Coopatrigo adquire o silo da Cesa
O silo adquirido pela Coopatrigo ocupa área de sete hectares junto a BR-285. É o maior da América Latina

O pagamento, à vista, no valor de R$ 16,830 milhões, foi realizado quinta-feira, dia 16, por volta das 8h15min, momentos antes de iniciar entrevista coletiva à imprensa da cidade, concedida pelo presidente, Ivo de Souza Batista. O pagamento realizado assegura a posse precária do imóvel, cuja imissão definitiva deverá ocorrer no prazo de 30 dias. É o maior investimento da Coopatrigo em armazenamento de grãos.

 
O presidente, Ivo Batista, disse quinta-feira, em entrevista coletiva à imprensa local, que a aquisição do silo da Cesa se insere no programa que visa garantir armazenagem à produção de grãos nos 14 municípios onde tem filiais instaladas. A Coopatrigo recebe anualmente, 12 milhões de sacas de grãos e dispõe de armazenagem estática para seis milhões de sacas, números que crescem ao se considerar as entradas e saídas de produtos ao longo de um exercício. Ainda assim, mesmo contando com o silo adquirido da Cesa, a Coopatrigo terá que fazer novos investimentos em armazenagem no futuro, levando em conta, naturalmente, a expectativa de produção nos próximos anos. Nesta safra, só em relação a safra de soja, a Coopatrigo recebeu 7,5 milhões de sacas. Os produtos com maior volume para armazenagem, depois da soja, são o trigo, o milho, o arroz, a canola e a aveia branca. Além de depósitos para grãos, a empresa mantém armazenagem para sementes e insumos. No conjunto, é uma estrutura muito grande, levando em conta também, a área administrativa.
 
COMO FOI O NEGÓCIO
Feliz pela concretização do negócio, que se desenvolveu durante vários meses, dialogando com a Justiça do Trabalho, a diretoria da Cesa e o Sindicato que representa os trabalhadores da Companhia, Ivo Batista relembrou a sessão do leilão realizado no mês de março, em Santo Ângelo, a cargo da leiloeira autorizada pela Justiça do Trabalho. O valor da avaliação, de R$ 21.151.000,00, foi considerado elevado pela Coopatrigo, mas o Sindicato dos Trabalhadores não concordou com a concessão de desconto. Desta forma, o leilão resultou sem a venda do imóvel, já que além da Coopatrigo, nenhuma outra empresa manifestou interesse na aquisição do silo.
 
No da 29 de abril, realizou-se reunião na Justiça do Trabalho, em Porto Alegre, presidida pelo juiz Eduardo Batista Vargas. Convidado, o presidente da Coopatrigo se fez presente, quando formalizou proposta concreta: desconto de 30% sobre o valor da avaliação e redução da taxa do leiloeiro de 6% para 2%. O Sindicato dos Trabalhadores novamente não concordou.
 
O juiz Eduardo Batista Vargas fez nova proposta a Coopatrigo: redução de 15% no preço de avaliação e fixação da taxa do leiloeiro em 2%. Ivo Batista informou que a última palavra era do Conselho de Administração e da diretoria executiva que, em reunião realizada em São Luiz Gonzaga, decidiu aprovar a proposta. Com esse manejo no preço de venda do silo, o preço final ficou em R$ 16.830.000,00. E quarta-feira, dia 15, o juiz do Trabalho, Eduardo Batista Vargas, enviou por meio digital, ofício informando que o negócio poderia agora ser concluído, nos termos ajustados.
 
O OFÍCIO
 
O ofício do magistrado, tem o seguinte teor:
“Senhor presidente,
Considerando a concordância das partes, consubstanciada na petição da fl. 4760, acolho e homologo a proposta de venda direta apresentada pela COOPERATIVA TRITÍCOLA REGIONAL SÃOLUIZENSE LTDA, nos termos em que estão formulados na fl. 4759 e verso.
Assino o prazo de 30 dias para imissão de posse definitiva, autorizada, desde já, a posse precária do bem (ve concordância da CESA à fl. 4742, verso) a partir do pagamento do proposto.
Tendo em vista tratar-se de venda direta, com parte da negociação realizada diretamente neste Juízo, arbitro os honorários do leiloeiro em 2% (dois por cento) do valor da venda, bem como as despesas comprovadas pelo mesmo.
Efetuado o depósito acima referido, nestes autos, expeça-se a competente carta de arrematação, sendo as despesas decorrentes da venda às expensas da cooperativa proponente.
Intimem-se as partes para ciência do presente, bem como à proponente para depósito dos valores devidos.
 Em 15/05/2019.
EDUARDO BATISTA VARGAS – Juiz doTrabalho Substituto”.       
Junto com esse ofício, a Coopatrigo recebeu o boleto para efetuar o pagamento, realizado minutos antes da entrevista coletiva concedida pelo presidente Ivo Batista à imprensa local.
 
MAIS EMPREGO E RENDA
Na entrevista coletiva, Ivo Batista disse que a aquisição do silo da Cesa pela Coopatrigo, vai significar mais emprego e renda em São Luiz Gonzaga, tendo em vista que o seu pleno funcionamento exigirá a contratação de pessoal e a movimentação de grãos ensejará renda ao Município. Além desse aspecto, a Coopatrigo poderá atender melhor os associados, que deve repercutir inclusive em redução de despesas, permitindo assim melhor remuneração aos produtores associados. 
 
REFORMA DO SILO
A reforma do silo será feita o mais breve possível, disse Ivo Batista. Para tanto, já credenciou a área técnica da entidade para solicitar orçamentos às empresas do ramo. A reforma está sendo avaliada entre R$ 8 a R$ 10 milhões, para deixar o silo em plenas condições de operação. Ivo Batista disse que a estrutura do silo não apresenta necessidade de reforma. Sua construção foi feita capaz de durar para sempre. Os maiores investimentos serão em secadores, balanças, macaco hidráulico, renovação do material de limpeza de grãos e escritórios.
 
O INVESTIMENTO EM SANTIAGO
Ao final da entrevista, Ivo Batista respondeu pergunta sobre a inauguração, realizada ontem, de grande investimento da Coopatrigo em Santiago. Trata-se de Centro Agropecuário e Automotivo, cuja estrutura segue o modelo do existente em São Luiz Gonzaga. Ivo Batista disse que Santiago é um dos maiores municípios desta região, com imensa área de campo, voltada a agricultura e a pecuária, e tem uma população de 60 mil habitantes. O empreendimento ontem inaugurado, tem a característica de um mini-shopping rural, disse Batista. Destacou o apoio das autoridades e do mundo empresarial de Santiago, e salientou que a Coopatrigo vai aproximar ainda mais aquele município de São Luiz Gonzaga.
 
 
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral