Fundação Banco do Brasil e Lar Escola renovam convênio de formação de jovens em música instrumental
10 de Outubro de 2017 às 14:56
Fundação Banco do Brasil e Lar Escola renovam  convênio de formação de jovens em música instrumental
Com o convênio assinado, todos comemoraram a continuidade do programa Crédito da foto - José Grisolia Filho/AN

Segunda-feira, foi assinado convênio entre a Fundação Banco do Brasil – FBB – e o Lar Escola Nossa Senhora Conquistadora, no valor de R$ 58.000,00, para serem aplicados na renovação dos atuais equipamentos da Banda Marcial da URI São Luiz Gonzaga e sua ampliação, onde crianças e adolescentes oriundas de famílias de reduzido poder aquisitivo, fazem sua iniciação no manejo de instrumentos musicais. Todos eles são atendidos pelo Lar Escola, onde permanecem todos os dias no turno inverso das escolas onde estudam. Esse trabalho já se desenvolve e apresenta bons resultados, graças ao espírito voluntário de pessoas que se dedicam a despertar vocações no campo da música, especialmente a instrumental. É o caso de Milton Berti, funcionário aposentado do Banco do Brasil e voluntário credenciado junto à FBB, condição que lhe autoriza sugerir ações de apoio a obras sociais e educacionais na região onde reside. O apoio à banda da URI partiu dele, vinculado com a iniciação de meninos e meninas indicados pelo Lar Escola, no mundo da música e das artes.
A solenidade teve lugar no Lar Escola, estando presentes o gerente da agência do Banco do Brasil, Ronaldo Ramos Martins, da diretora-geral da URI São Luiz Gonzaga, Dinara Bortoli Tomasi, que estava acompanhada pela coordenadora do curso de Direito, Cristiane Azambuja e do funcionário da instituição educacional, Ederson Marques Paz. A presidente do Lar Escola, Marta Farias Batista e a tesoureira, Zaida Hoffmann, juntamente com a Irmã Jandira, estavam presentes, bem como Nanci Berti e colaboradores dessa ação social.
O gerente do Banco do Brasil, Ronaldo Ramos Martins, elogiou o trabalho da URI e do Lar Escola na iniciação à música instrumental para crianças e adolescentes de famílias da periferia, porque a arte conduz as pessoas à busca de sua realização, graças ao ganho de perspectivas que esse conhecimento lhes proporciona. Também agradeceu a ação do funcionário aposentado Milton Berti, na condição de voluntário da Fundação Banco do Brasil, pela indicação dessa campanha. Ronaldo ainda lembrou sua passagem por outras agências, onde implementou várias ações do FBB em favor do conhecimento e da abertura de caminhos para jovens que precisam de apoio quando estão se iniciando em suas vidas.
A diretora-geral da URI, Dinara Bortoli Tomasi lembrou que sua condição de cristã e cidadã, a colocam como participante deste projeto, graças ao suporte que transmite a jovens que precisam de apoio para organização de suas vidas. A diretora do Lar Escola, Marta Batista, assinalou que a entidade trabalha como reforço escolar às crianças atendidas e na formação de cidadãos e cidadãs que precisam se inserir no meio social como pessoas atuantes em favor do aprimoramento da convivência que conduz à fraternidade e à solidariedade.