Memória Cultural

esteves.anoticia@gmail.com

11 de Junho de 2018 às 08:37
Memória Cultural
Liberdade com moderação
Parece uma cena simples e contemporânea nas praias do Rio de Janeiro. No entanto, essa foto de 1960 mostra uma mulher iraniana antes da Revolução Islâmica do Irã. Isso coloca em perspectiva o “burkini”, que é basicamente uma burka que as mulheres devem usar na praia os dias de hoje. A Revolução Islâmica do Irã começou como um movimento popular pela democratização e terminou com a criação do primeiro Estado Islâmico. O episódio transformou completamente a estrutura social do país e foi um dos momentos que marcaram o século 20. Antes da revolução, o Irã era governado pelo xá Reza Pahlevi. O poder era concentrado dentro de seu círculo de amigos e aliados. A desigualdade entre ricos e pobres se aprofundou nos anos 1970. Críticas à política econômica e ao estilo autoritário do xá estimularam a oposição ao seu regime. As principais vozes da oposição se concentraram atrás da figura do aiatolá Ruhollah Khomeini, um clérigo xiita que vivia exilado em Paris. Ele prometeu reformas sociais e econômicas. E receitou uma retomada de valores religiosos tradicionais muçulmanos.