Olívio Dutra ganha um filme-documentário da sua trajetória de vida
12 de Junho de 2018 às 17:28
Olívio Dutra ganha um filme-documentário da sua trajetória de vida
No dia 26 de junho, terça-feira, às 19h, ocorrerá a sessão de estreia no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, de “O Galo Missioneiro – A Trajetória de um Militante”. O filme conta a história de vida e trajetória política de Olívio Dutra. O longa-metragem olha para o presente e para o passado do ex-bancário, prefeito, governador e ministro.
A narrativa acompanha o dia a dia de Olívio, sem ser candidato e nem ter mandato, como militante de diferentes causas sociais. O documentário resgata imagens e momentos dele no PT – Partido dos Trabalhadores em Porto Alegre e no Rio Grande do Sul
Para esta sessão de estreia, a entrada é gratuita e a distribuição de senhas para a sessão começa às 18h. Além da exibição, artistas que participam musicalmente do documentário farão um show.
 
Ficha técnica do filme:
Direção, edição e captações: Thiago Köche
Produção e roteiro: Mandato deputado Edegar Pretto, Sonia Rosler e Tina Wagner Griebeler
Animação e créditos: Lucas Argenta
Edição de som e mixagem: Humberto Schumacher Da Gama Junior
Caligrafia do título e desenho publicitário: Betina Cammardelli Köche
Músicas de: Wagner, Nei Lisboa, Pedro Ortaça, Gelson Oliveira e Antônio Gringo
Apoio: Casa de Cinema de Porto Alegre, Fetrafi-RS e Sindbancários.
Filho de agricultores sem-terra

Olívio Dutra nasceu em 10 de junho de 1941, em Bossoroca, na época município de São Luiz Gonzaga. Filho de agricultores sem-terra, Olívio formou-se em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O candidato é casado desde 1968 com Judite da Rocha Dutra e tem dois filhos: Espártaco e Laura.
Funcionário do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) desde 1961, Olívio foi transferido para Porto Alegre em 1970. Cinco anos mais tarde, foi eleito presidente do Sindicato dos Bancários da Capital. Em 1979, período da ditadura militar, Olívio Dutra foi um dos líderes da greve de trabalhadores no Rio Grande do Sul, razão pela qual foi preso e teve seu mandato cassado na entidade.
Em 1980, Olívio Dutra participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT). Foi presidente estadual da sigla até 1986 e eleito para a presidência nacional do partido no ano seguinte. Em 1982, foi candidato a governador pelo PT, obtendo 50.713 votos. Em agosto de 1983, ajudou a fundar a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
Elegeu-se deputado federal constituinte em 1986. Em 1988, Olívio Dutra venceu as eleições para a prefeitura de Porto Alegre com 34,34% dos votos, inaugurando na Capital uma sequência de 16 anos administrações petistas. Em 1994, foi candidato ao governo do Estado, recebendo 45% dos votos válidos no segundo turno. Quatro anos mais tarde, no segundo turno das eleições de 1998, Olívio Dutra foi eleito governador, com cerca de 51% dos votos válidos.
Em 2 de janeiro de 2003, logo após o fim de seu mandato como governador gaúcho, Olívio Dutra foi nomeado Ministro das Cidades pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2006, disputou pela quarta vez as eleições para o governo do Rio Grande do Sul, levando o PT ao segundo turno, quando obteve 46,1% dos votos válidos. Em 2014 foi candidato indicado do partido para disputar o Senado.