A guerra das escolhas profissionais

  • 2 de fevereiro de 2024

A cada ano que vai passando na folhinha do calendário mais expectativas vão se acumulando na vida das pessoas.

O planejamento do futuro próximo não pode ficar desleixado. O dia de hoje pode ser mui importante para a vida de outros anos que logo virão.

O estudante que vai frequentar uma nova série ou um novo semestre não pode ficar alheio aos pequenos passos ou pontes para chegar ao outro lado do rio. Nada ocorre sem ir passo a passo, galgando pequenas vitórias ou até mesmo derrotas para transpor obstáculos e chegar a um novo patamar de vida.

O vestibular pode ser encarado como uma grande ponte para galgar novos desafios.

Quando se vê jovens desligados do futuro profissional dá um temor pelo futuro dele. Pais passando a mão na cabeça de filhos sem exigir nada daquilo que realmente importa para a felicidade futura, dá uma angústia. Muita coisa pode ser feita em relação à felicidade de crianças e jovens. As crianças adoram a escola, consideram-na sua segunda casa. Basta ficar de olho no seu desempenho DIARIAMENTE. Verificar todo o dia o material escolar, tudo que foi dado naquele dia, acostuma a ser responsável e vai para um ensino médio tranquilamente.

Muitos jovens, já com Curso Superior, estão descontes com suas escolhas. Não gostam de seu trabalho. Isso reflete no seu desânimo, nas suas expectativas. Aí os pais  ficam apreensivos. Mas como? Tirava boas notas!

A orientação vocacional deve ser levada em conta desde os primeiros anos escolares.

Uma dica que sempre se pode orientar é perceber o desempenho em alguma área. Então fica mais fácil ver e salientar quais profissões serve para aquele jovem. Como fazer Agronomia, por exemplo, se não gosta de plantas, de terra, de matemática, de meio ambiente, de geografia, de nutrientes, de química, de ecologia, de trabalho de pessoas do campo.

Às vezes o estudante se inscreve num curso que nada tem a ver com ele, mas é mais barato, não precisa sair da cidade, o amigo vai para aquele curso, o irmão ou irmã é bem sucedido naquela carreira. Há múltiplas explicações para um jovem não estar satisfeito com o próprio desempenho em um curso.

Às vezes, também, os pais interferem sem querer, achando que os filhos estão maravilhados com suas escolhas. Sempre é salutar verificar, discretamente, os comentários da escola, dos colegas, das disciplinas, dos professores, do ambiente escolar. Isto predispõe dicas de caminhos seguros e de que seus filhos estão realmente felizes.

Quando se atende em consultório jovem saudável, mas descontente, com queixas físicas em quase todos os órgãos, sempre lembrar com insatisfações na área profissional ou na escolha feita.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…