Agro

  • 4 de agosto de 2023
trigo-xxx

Bem-Estar Animal

Vigora desde terça-feira, 1º de agosto, Portaria do Ministério da Agricultura e Pecuária, que uniformiza a legislação a ser aplicada nos estabelecimentos regularizados pelos serviços oficiais de inspeção que abatem animais para consumo humano ou outros fins comerciais. O novo regramento determina 12 autocontroles a serem feitos nas rotinas de abate, entre eles o tempo de jejum do animal, o transporte, as condições do veículo e a qualidade da insensibilização (indução da inconsciência antes da sangria).

Visão Agro

O relatório Visão Agro, publicação do departamento de análises econômicas do banco Itaú, prevê benefícios para a safra de grãos de verão no Rio Grande do Sul, com a confirmação da chegada do El Niño. De acordo com o documento divulgado segunda-feira, dia 31 de julho, o fenômeno das águas do Oceano Pacífico deve trazer benefícios ao Brasil, especialmente à região Sul, uma das principais produtoras de soja no país. As projeções dos economistas do Itaú apontam que a melhora no ciclo de chuvas pode impulsionar a área plantada com a oleaginosa e a produtividade nacional, elevando a produção a 163 milhões de toneladas, quase 11 milhões de toneladas a mais do que a estimativa divulgada pela Conab no início de julho. O documento também sinaliza preços menores para a commodititie que sugerem aumento de 10% na produção mundial do grão.

O robô que caça insetos

Um robô exterminador de insetos, que percorre o campo durante a noite à procura de vilões da lavoura, como bicudo-da-soja, a cigarrinha-do-milho, a mosca-branca, gafanhotos e mariposas e os elimina antes que completem seu ciclo reprodutivo. Tudo isso sem uso de agroquímicos e sem riscos para os agentes polinizadores, os insetos “do bem”, essenciais para a produtividade agrícola e a segurança alimentar. O equipamento, com dois metros de altura e 2,5m de largura, é uma criação da Solinflec. Batizado de Solix Hunter e equipado com placas solares, o robô noturno atrai os insetos por meio de comprimentos de ondas de luz específicos, neutralizando-os com eletrochoques.

Safra de Arroz

O Rio Grande do Sul obteve em sua safra de arroz 2022/2023 uma produção de 7,2 milhões de toneladas. No ciclo, a cultura auferiu a segunda maior produtividade de sua história, de 8,79 toneladas por hectare, menos apenas que a da safra 2020/2021, de 9,01 toneladas. O Instituto Riograndense do Arroz (IRGA) detalhou os dados finais da safra de verão, a terceira num ambiente de estiagem. Mesmo em uma área plantada de 839,9 mil hectares, 13,9% menor que a do ano passado, a orizicultura teve ganho de 5,4% na produtividade, usando a mesma base de comparação. O volume produzido no Estado, contudo, teve um recuo de 6,5%, menos da metade do percentual de perda de área. A soja plantada em área de arroz chegou a 506 mil hectares, a maior marca em 14 anos, com produtividade de 2,58 toneladas por hectare. O milho obteve produtividade de 6,51 toneladas por hectare, numa área de 12,8 mil hectares plantados.

Leite terá declínio na redução dos custos

O Índice de Insumos para Produção de Leite Cru (ILC), calculado pela assessoria econômica da Farsul, teve queda de 4,75% em junho, de 31,67% neste ano e de 35,35% em 12 meses. Mas deve ocorrer uma reversão na tendência de declínio, em razão das altas já observadas nas cotações da soja e do milho, que são base das rações animais e têm peso de mais de 50% no cálculo do ILC.

Soja em alta

Depois de sete meses de queda, o preço da soja recuperou em julho patamar semelhante ao de abril, na faixa de R$ 145,00 a saca de 60 quilos. De junho para julho, a valorização foi de 6,3%. O avanço dos preços no Brasil no período foi influenciado pela valorização na bolsa de Chicago. A alta na bolsa norte-americana se fundamenta, em parte, devido à expectativa de safras nos Estados Unidos, com área menor em relação ao projetado inicialmente. A tendência do preço, segundo especialistas, vai depender do tempo. Se o clima se mantiver quente e seco durante o mês de agosto, isso pode injetar maiores altas em Chicago, porque haverá perda de produtividade. Por outro lado, se voltar a chover e normalizar as condições das lavouras, a tendência é de preços mais fracos. A recomendação ao produtor brasileiro é fazer as contas de seus custos de produção e tentar passar parte das vendas durante o movimento de alta.

Lavora gaúcha de trigo será de 1,5 milhão de hectares

A semeadura do trigo, principal cultura de inverno no Rio Grande do Sul, já representa 97% da área prevista para a safra de 2023, de 1,5 milhão de hectares. De acordo com Informativo Conjuntural, levantamento semanal da Emater nas zonas produtoras, falta apenas a implantação das lavouras nas regiões mais elevadas do Planalto e nas áreas dos Campos de Cima da Serra. Os técnicos da Emater observaram que o cenário climático das últimas semanas teve um impacto positivo na cultura, permitindo a retomada do processo de enraizamento e de desenvolvimento das plantas.

Hoje é o “Dia da Lã”

Nesta sexta-feira, dia 4 de agosto, a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco) promove, na sede da Associação Rural de Bagé, a segunda edição do Dia da Lã. No evento, serão discutidos detalhes da produção laneira e apresentados os resultados do Programa de Certificação da Lã gaúcha. O coordenador do programa, Sergio Muñoz, assegura que “o produtor está entendendo que precisa melhorar a qualidade da colheita da lã para poder obter melhor valor para o seu produto.

Edição inédita do programa Corsan Negocia incentiva regularização de clientes inativos

Agentes da Corsan irão visitar, a partir da próxima segunda-feira, 3, os imóveis que estão com matrículas inativas ou suspensas…

Emissão de carteira de identidade é retomada em São Luiz Gonzaga

Voltou a funcionar na terça-feira, dia 28, o serviço de emissão de carteira de identidade no posto de identificação do…

Município adquire 50 toneladas de asfalto para recuperar ruas

A Secretaria de Obras de São Luiz Gonzaga aguarda apenas o tempo firmar para iniciar uma nova operação de recuperação…