Anna versus annA

  • 16 de setembro de 2023

Em memória de Anna Olívia Nascimento

O outro lado…

Qualidades intelectuais inquestionáveis.

E o dia a dia em casa?

Não era de acordar muito cedo. Somente quando necessário.

Vestia-se simplesmente, contudo gostava de roupas duráveis de boa procedência. Cores discretas. Rosinha, salmão, pêssego, pastel, bege (muito usado); usava saias comportadas. O casaquinho não faltava no seu guarda-roupa. Calças escuras.

E os sapatos? Em termos de vestuário, eram suas paixões. Devia calçar, comodamente. Altura dos saltos que não incomodava a coluna. Cores clássicas.

Pinturas cosméticas? Pouco ou nada. Não jogava fora um bom creme facial, como também do corpo. Esmalte cor clara ou, simplesmente, base para proteção das unhas. Creme de mãos não dispensava.

Não dava gargalhadas. Esboçava sorriso. E, quando ficava brava, carranca armada, sai de perto!

E na cozinha? Passava ao longe. Gostava de pratos típicos. Carne de ovelha era uma das carnes preferidas. Há um ditado que reza ‘não sabe fritar um ovo’. Com Ana era real. Até ganhou uma frigideira prática ‘que não grudava’ para fazer o ovo dançar e não aderir. Admirava um bom cardápio e houve e há familiares que têm excelentes atributos de bom gourmet.

Esporte nunca foram seu forte. Até fraco. O máximo que gostava ou praticava (levemente mal) era canastra. Distraia-se. A compensação era a galinhada que o perdedor pagava.

Confidências não era muito usual. Parece até que não confiava em seus amigos. E, quando relatava algo de alguém, antecipava-se dizendo: ‘Olha a ética’, principalmente quando a amiga portava diploma de médica.

Comemorava sua data natalícia com amigos. Chá e bolo não faltavam.

Adorava presentear. Talvez este seja um ponto fraco  Era muito desapegada de bens materiais. Seus familiares mais próximos sempre foram bem favorecidos por ela.

Conservava fotos de seus pais e irmão sempre à vista.

Piadas? As suas eram sempre reais, relatando suas vivências. Os famosos causos antigos.

Enquanto podia locomover-se facilmente, visitava amigas e familiares; ia a Bossoroca e Santiago mais frequentemente.

Fez viagens ao Mato Grosso do Sul, visitando tios e primos. Certa vez levou consigo uma amiga, promovendo, por acaso, encontro com outro gaúcho, trazendo-o de volta aos pagos, aqui fixando residência, casando com a referida amiga. Destino?!

Por tudo que se viveu com Anna, resta agradecer ao Criador por conviver com esta incontestável Figura.

Assim era annA vista por outro ângulo.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…