Cooperoque apresenta maior resultado da história, supera marca dos R$ 14,6 milhões e distribui R$ 2,8 milhões aos associados

  • 20 de março de 2023
Presidente_Delmar_Limberger,_com_a_palavra

Duas informações são importantes lembrar antes de falarmos especificamente dos números da Cooperoque no exercício de 2022: a cooperativa completou, em 1º de novembro de 2022, 71 anos de história; nestas mais de sete décadas de atuação, jamais apresentou resultado anual negativo.

A Cooperoque apresentou o 71º balanço com resultado positivo consecutivo. A informação foi divulgada aos associados durante a Assembleia Geral Ordinária, realizada na noite de quarta-feira, dia 15 de março, no Clube Riograndense, da Vila Santa Catarina. Mantendo a tradição de realizar assembleias presenciais, na edição de 2023 reuniu excelente público, que lotou as dependências do salão da comunidade, demonstrando o interesse e o comprometimento dos mais de 1570 integrantes do quadro social.

O resultado de R$ 14.623.344,11 é o maior da história da cooperativa. Frente aos R$ 359.814.579 de faturamento, representa uma lucratividade de 4,06%, índice considerado excelente para o mercado de atuação da Cooperoque. Tão expressivo resultado não foi ao acaso.

Sabendo das situações que se apresentavam no radar para o ano de 2022, a direção tomou diversas iniciativas com vistas a cortar despesas e custos. Por outro lado, buscou oportunidades de negócios e foi bem-sucedida, levando – em primeiro lugar – à oferta de serviços de qualidade e produtos com bons preços aos associados, e como consequência, o cômputo de um ótimo resultado financeiro para a Cooperoque.

 

Crise hídrica, pandemia e guerra

O título parece a introdução à um parágrafo que descreve um cenário catastrófico, e até poderia ser. As condições externas não pareciam colaborar para um ano tranquilo. Com os reflexos da pandemia ainda prejudicando o comércio internacional e a disparada da guerra Rússia X Ucrânia, os preços de insumos e comodities perderam suas referências, resultando em instabilidade no valor desses itens.

Se não bastasse, a crise hídrica prejudicou o desenvolvimento das culturas de milho e especialmente soja, o que resultou na pior safra da oleaginosa da história.

 

Alívio

Nem tudo foram desafios para os agricultores em 2022. Se por um lado, o milho e a soja foram prejudicados pelas estiagens, o trigo foi beneficiado com condições climáticas ideais ao seu desenvolvimento, o que aliado ao empenho do Departamento Técnico da Cooperoque, resultou na melhor safra da série histórica da cooperativa – em qualidade e quantidade de produção. Além disso, os valores pagos, que normalmente sofrem redução durante a safra, neste ano mantiveram-se atrativos e a cooperativa remunerou as 858 mil sacas recebidas com os melhores preços do mercado.

 

Oportunidades

Este foi mais um ano onde o associado pôde sentir-se verdadeiramente assistido pela sua cooperativa!

A direção, inteirada do mercado internacional, conseguiu antecipar-se aos desafios e buscar boas condições de comercialização, tanto na identificação de preços para insumos quanto na venda dos grãos resultantes da safra, que além de apresentar baixa quantidade, tiveram péssima qualidade e aceitação no mercado. Para se ter uma ideia, a redução na produção de soja pelos associados da Cooperoque, em relação à safra de 2021, foi de 82%.

Com isso, os associados conseguiram comprar seus insumos com boas condições, a cooperativa garantiu o fornecimento e mais uma vez cumpriu seu papel fundamental no suporte à cadeia produtiva de alimentos.

 

Bons resultados em todos os setores

O ótimo resultado financeiro global da Cooperoque em 2022 torna-se uma notícia ainda melhor quando observado o desempenho isolado dos setores, uma vez que todos apresentaram bons indicadores no exercício, estimulados pela gestão responsável, diminuição de despesas operacionais e como resposta aos investimentos que vem sendo realizados.

O destaque fica por conta da Loja Agropecuária.

A Cooperoque vive tempos de um amplo projeto de expansão do seu complexo comercial. Loja Agropecuária, Supermercado e Magazine terão, ao final da execução de todas as obras, novas casas, visando a ampliação do leque de produtos oferecidos e a disposição de condições ainda melhores de compra por associados e clientes.

A primeira loja a se instalar na nova estrutura foi a Agropecuária, inaugurada em 2020, em meio a um dos períodos mais conturbados da pandemia. Mesmo assim, desde que iniciou suas operações no novo local, os resultados seguem linha ascendente. Em 2022 o faturamento foi de R$ 18.594.724,65 ante R$ 8.892.712,78, em 2019.

Além da ampliação no volume de vendas em 112%, a satisfação dos associados e clientes com o novo espaço são indicadores da compensação do investimento que chegou a R$ 4.664.956,75. De perto e de longe, aqueles que precisam de algum dos mais de 6.800 produtos disponíveis em estoque, encontram na loja ótimos preços em uma variedade pensada para a realidade do homem do campo e da cidade.

 

Mais serviços gratuitos aos associados

Um dos diferenciais da Cooperoque no atendimento aos associados é a oferta de serviços gratuitos. No exercício de 2022, esse item que a cooperativa denomina “vantagens financeiras”, somou R$ 6.891.224,91. Na prática, esse montante representa economia aos cooperados e é uma renúncia de receita da cooperativa, que com isso, cumpre seu papel e estimula o desenvolvimento regional.

Nesta conta, entram, por exemplo, os Projetos Agrícolas, dos quais a cooperativa teria, por direito, a prerrogativa de cobrar 2% sobre o valor projetado. Só neste item, o repasse aos associados representa R$ 1.669.830,00.

No exercício findo, a cooperativa também adotou de forma inédita a zeragem dos descontos na entrega de trigo. Antes, a taxa de serviço representava um desconto de 3% na produção entregue. Desde setembro do ano passado, essa taxa deixou de existir e o custo de secagem só é aplicado quando a produção chega com índice de umidade superior a 22%. Esta prática já havia sido adotada para a cultura de milho na safra anterior.

 

Investimentos com recursos próprios e o equilíbrio

O ano foi ainda de muitos investimentos na infraestrutura da cooperativa. No total, mais de R$ 5,6 milhões foram destinados em obras e novos equipamentos. Destaque para a reestruturação realizada no Moinho de Trigo.

Com o setor completando 30 anos de atuação, foram investidos mais de R$ 1,08 milhões em obras e novos equipamentos, que já resultam em uma ampliação considerável na produtividade e aumento da qualidade, já observada pelos consumidores. Desta forma, o Moinho dobrou a sua capacidade produtiva e prepara-se para viver mais uma etapa da reestruturação, agora para o envase em volumes maiores (bag) mirando nas necessidades da indústria.

Dentre os outros investimentos de grande vulto, destaque para a subestação de energia elétrica, que supre todo o Complexo Comercial e Administrativo (R$ 775.972,74), conclusão das obras da ampliação do Setor Administrativo (R$ 658.616,75) e construção do novo Magazine (R$ 407.569,28).

Foi enfatizado na Assembleia, que os investimentos realizados pela cooperativa são com a aplicação de recursos próprios, mantendo a sua solidez e fomentando seu desenvolvimento a passos constantes.

Outro ponto importante abordado, é que a Cooperoque possui Índice de Liquidez maior do que 1. Os índices de liquidez dizem respeito à capacidade de uma empresa honrar com todos os seus compromissos financeiros. Na prática, quando o valor é maior que 1, significa que o negócio consegue cumprir com folga os seus compromissos financeiros.

O Patrimônio Líquido da cooperativa fechou 2022 em R$ 74.343.629,93, incremento de 19% em relação ao exercício anterior.

 

Auditoria e Comitê de Apoio à Gestão

Na apresentação dos resultados aos associados, também foi reproduzido o vídeo que apresentou o parecer da Auditoria Externa da Cooperativa, que é realizada pela Dickel & Maffi Auditoria e Consultoria, que tem sede em Porto Alegre, a qual concedeu parecer favorável e sem ressalvas às demonstrações da cooperativa.

Foi criado e instituído no final de 2021 o Comitê Gestor de Riscos, com o objetivo de abordar, discutir, encaminhar e solucionar quaisquer questões administrativas que envolvam a gestão e situações de riscos. Com reuniões mensais, os resultados estão sendo altamente promissores e os reflexos podem ser percebidos na tomada de decisões e encaminhamentos realizados de forma conjunta.

 

Retorno aos cooperados

Do resultado acumulado no exercício, além de todas as vantagens operacionais que são oferecidas aos produtores pelo desenrolar da atividade, os associados têm o direito estatutário a 20%, as chamadas sobras. Relativo ao exercício de 2022, esse montante totaliza R$ 2.857.440,21 que será dividido pela fidelidade dos cooperados, ou seja, quanto mais negócios realizou com a Cooperoque, melhor será seu retorno.

A cada saca de grão (soja, milho e trigo) entregue no ano de 2022, o associado receberá R$ 1,00. A política de retorno da Cooperoque abrange todas as culturas, o que vem como um benefício ainda maior para os associados.

O superintendente, Elmar Inácio Stracke, salientou na Assembleia que, caso a Cooperoque levasse em conta apenas a cultura da soja, sem levar em consideração milho e trigo, para usar de critério na distribuição do resultado, o que acontece em outras cooperativas, o retorno seria superior a R$ 8,00 por saca.

Além disso, a cooperativa irá distribuir 1% sobre as compras no setor de Consumo, que engloba os Insumos, Agropecuária, Supermercado e Magazine.

 

E tem mais: produtores de leite receberão R$ 550.000,00

A Cooperativa Central Gaúcha Ltda – CCGL – anunciou em janeiro, durante sua Assembleia Geral Ordinária, a distribuição de resultados entre os seus produtores de leite, como participação dos lucros da indústria em 2022.

O valor de R$ 0,0365 por litro será distribuído para todos os produtores que entregaram leite ininterruptamente durante o referido ano e estiverem ativos no sistema CCGL até o dia 20 de abril de 2023, data prevista para o pagamento.

A Cooperoque, associada à CCGL por meio da COCPELL, irá ratear entre seus produtores de leite mais de R$ 550.000,00, proporcionalmente à produção entregue durante o período de apuração.

 

Valorização dos Funcionários

Durante o ano de 2022, os colaboradores da Cooperoque passaram por treinamentos e por um ciclo de encontros com os dirigentes.

Além da valorização na forma de qualificação, os colaboradores receberão na folha de pagamento do mês de março a fatia de 5% do total do resultado anual da cooperativa, através do PPR – Programa de Participação dos Resultados, instituído em 2016 na cooperativa.

Os R$ 714.360,06 serão divididos entre os colaboradores, respeitando uma série de critérios que incluem pontualidade, participação em treinamentos, assiduidade e as compras feitas na cooperativa.

A depender da faixa salarial, existem colaboradores que receberão, além do seu salário normal, um rendimento extra superior ao seu mensal.

 

Todas as informações do exercício de 2022

Aos que estiverem interessados em saber de todos os detalhes do exercício de 2022, como as informações contábeis e o relatório detalhado, podem realizar o download do informativo digital através do site http://www.cooperoque.com.br

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…