Este é o momento de fazer São Luiz Gonzaga inspirar-se em suas origens para conquistar o progresso

  • 12 de janeiro de 2024

A cidade de Gramado/RS é um exemplo que está ao alcança dos nossos olhares, no que diz respeito ao aproveitamento de sua origem, para assentar um plano turístico respaldado na beleza e fidelidade de sua história. Sua população tem origem na migração europeia, especialmente da Alemanha, que escolheu o Novo Mundo como escolha definitiva para seu futuro.

Os alemães definiram a Região Sul do Brasil como preferencial para se estabelecerem, mas foi na cidade de Gramado que a sua presença se tornou visível, através dos traços que se fizeram presentes na organização da cidade e na sua arquitetura.

Certamente tudo isso foi possível, porque a cidade foi construída levando em conta conceitos que estão presentes em tudo que se vê em Gramado e que dizem respeito à origem da sua população, a Europa e, especialmente, a Alemanha.

Essa origem está presente no traçado urbano, ajustado ao clima dominante na serra gaúcha, semelhante ao europeu. Mas a população pioneira e seus descendentes, foram além, porque colocaram traços de sua história na arquitetura que construiu a cidade de Gramado.

Por onde se andar em Gramado, os olhares dos visitantes percebem a transferência de recortes fundamentais da arquitetura alemã, ajustada ao gosto e aos valores próprios de seus moradores, resultando em um projeto único e realmente encantador, capaz de conquistar os olhares de todos que visitam essa cidade.

Essa conjunção permitiu o surgimento de um projeto aceito espontaneamente pela população e fez de Gramado um feito único na construção de uma cidade turística, acolhedora e atraente, hoje o endereço mais procurado pelos gaúchos para seus momentos de lazer. Em cima dessa base permanente, Gramado criou programações para atrair visitantes durante todo o ano. Esse projeto continua crescendo e garantindo resultados aos seus moradores.

Em São Luiz Gonzaga, o Instituto Histórico e Geográfico, com o apoio da Prefeitura Municipal e de emendas parlamentares, possibilitou a reprodução de uma casa indígena igual às construídas na Redução Jesuítica de San Luís, origem da nossa São Luiz Gonzaga. Foi construída junto ao velho sobrado, na Rua São João, a uma quadra da Praça Matriz e um marco da educação nesta cidade. E no interior dessa casa, foi instalada uma maquete da Missão de San Luís, um feito extraordinário de um artista local, Vinicius Ribeiro.

Esse projeto já recebe centenas de visitantes da região, do Estado, do Brasil e de vários países. Se esse resultado é alcançado graças a um projeto isolado de reconhecimento da origem histórica de São Luiz Gonzaga, o que poderíamos obter através da identificação de características da arquitetura missioneira, certamente é muito mais!

Em Gramado, os prédios existentes reproduzem traços que vieram da Alemanha, sem prejuízo da modernidade e dos valores da cultura local. Em qualquer prédio existente, existe um sinal da origem da migração alemã. Essa identificação é mostrada com excepcional bom gosto, revelado nas linhas adotadas nos prédios que são construídos. As vezes é apenas um traço, mas é o suficiente para identificar a migração europeia.

Os Sete Povos das Missões é um “case” excepcional para identificar um projeto turístico em São Luiz Gonzaga. Basta imaginar a história missioneira expressa sendo vista em prédios e nas ruas. Até agora, a Região Missioneira não conseguiu fazer de sua história uma fonte de desenvolvimento do turismo, uma indústria poderosa, como se pode ver em Gramado.

A iniciativa do Instituto Histórico e Geográfico, com seu projeto na rua São João, pode ser o marco inicial de um projeto maior, identificado com nossas origens. Falta, apenas, as lideranças locais decidirem examinar como chegar a um projeto turístico, como fez Gramado.

Está na hora de se pensar como deve ser construído um projeto nesse sentido. Estivemos olhando fotos da Redução de São Miguel e percebemos que o olhar técnico de arquitetos e engenheiros e também de artistas, pela própria natureza de suas atividades, vão verificar o que pode se transferir em estilo para o que é construído aqui. Fazendo isso, quem visitar São Luiz Gonzaga, vai perceber em um instante, a herança recebida das reduções jesuíticas.

Quem sabe a criação de uma comissão técnica, para construção de um projeto que identifique nossa cidade com a sua origem, possa viabilizar uma inciativa dessa envergadura, capaz de identificar São Luiz Gonzaga efetivamente como cidade turística, para ser tão importante como Gramado.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…