Governo do RS sugere a inclusão da BR-285 no programa de privatização de rodovias federais

  • 31 de janeiro de 2024
20240131_148505688_Duplicação da BR-290, em Pantano Grande, no dia 1º de novembro de 2023 - André Ávila - Agencia RBS

A inclusão nesta quarta-feira (31) de sete trechos de rodovias no Rio Grande do Sul no Programa Nacional de Desestatização (PND) é o primeiro passo para a concessão à iniciativa privada. No Ministério dos Transportes, o objetivo é acelerar a elaboração de projetos para definir a modelagem para cada estrada e lançar os editais no ano que vem. O pacote foi bem recebido pelo Piratini. Em reunião com o secretário-executivo dos Transportes, George Santoro, o vice-governador, Gabriel Souza, também sugeriu a inclusão de mais uma rodovia, a BR-285, entre São Borja e Passo Fundo.

A concessão de estradas localizadas no Rio Grande do Sul à iniciativa privada faz parte de um pacote maior, em que o governo federal espera ampliar os canteiros de obras em diversas regiões do país, especialmente com foco no escoamento da produção agropecuária. O vice-governador solicitou que o Estado tenha assento nas discussões para assegurar que a modelagem de concessão assegure as obras necessárias e a conexão das estradas com outros modais.

A cobrança de pedágio divide opiniões entre a população. Souza reconhece que a medida pode ser impopular, mas não enxerga outra maneira de viabilizar obras que são aguardadas há décadas no Estado. O vice-governador garante que estará atento a erros cometidos no passado para assegurar que os futuros contratos ofereçam retorno adequado às tarifas pagas pelos usuários.

— É mais barato pagar o pedágio do que sofrer com a falta de investimento do Estado. Há modelos atualmente com novas tecnologias, com novas métricas de modelagem dos contratos, que oferecem preços proporcionais aos investimentos — defendeu.

Além de discutir as futuras concessões, o governo gaúcho quer ser incluído no debate sobre o futuro do trecho sul da BR-116, concedido atualmente à Ecosul. A União avalia a possibilidade de prorrogar mais uma vez o contrato, mediante redução das tarifas e compromisso de obras no trecho. O contrato em vigor termina em março de 2026, quando também poderia ser realizada uma nova licitação.

GZH

Edição inédita do programa Corsan Negocia incentiva regularização de clientes inativos

Agentes da Corsan irão visitar, a partir da próxima segunda-feira, 3, os imóveis que estão com matrículas inativas ou suspensas…

Emissão de carteira de identidade é retomada em São Luiz Gonzaga

Voltou a funcionar na terça-feira, dia 28, o serviço de emissão de carteira de identidade no posto de identificação do…

Município adquire 50 toneladas de asfalto para recuperar ruas

A Secretaria de Obras de São Luiz Gonzaga aguarda apenas o tempo firmar para iniciar uma nova operação de recuperação…