Luis Grings é ouvido pela comissão do HSLG

  • 22 de maio de 2023
Comissão HSLG Grings

Na última sexta-feira, 19 de maio, a Comissão Temporária Especial Hospital São Luiz Gonzaga, formada por vereadores de todas as Bancadas do Legislativo para averiguar denúncias quanto ao atendimento prestado pelo hospital à população, recebeu o coordenador do plantão médico do HSLG, o médico Luis Grings.

Participaram da reunião os vereadores João Iuri (PSD), Valmir Silveira (MDB), José Luis (PT) e Rose Grings (Progressistas), bem como os assessores Jacke Saratt (Paulo Fraga) e Antonio Cesar Portela (Francisco Lourenço).

Na oportunidade, diversos questionamentos foram feitos pelos vereadores ao coordenador do plantão, com perguntas que envolviam desde o procedimento no atendimento à população, como a disponibilidade de mais profissionais de saúde para atender ao plantão, humanização do atendimento e transparência à população nos atos realizados pela instituição hospitalar.

Quanto aos atendimentos realizados no plantão, que hoje conta com quatro médicos que se revezam nos turnos durante a semana, Grings explicou sobre a dificuldade do hospital em encontrar médicos interessados em atuar na instituição, tendo em vista o grande número de atendimentos realizados no curto espaço de tempo, o que não é recomendado pela sociedade médica como o ideal, o que deveria ser suplantado pela rede de atenção básica do município.

Nesse sentido, os vereadores questionaram sobre a possibilidade de implantação de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no município, bem como a extensão do horário de atendimento de médicos na rede pública e contratação de novos profissionais. A possibilidade de uma UPA para desafogar os atendimentos do hospital nos casos em que não seriam de urgência ou emergência havia sido levantada pela administração do hospital em sua reunião com a Comissão, ao que o coordenador do plantão explicou ser praticamente inviável, hoje, devido ao alto custo de implantação e manutenção.

Grings destacou que o HSLG, atualmente, é um dos únicos hospitais da região noroeste que possuem médicos em sobreaviso para cerca de 10 especialidades, e que recebem demandas diárias que podem ultrapassar a 70 atendimentos por turno médico. Assim, o coordenador destaca que o atendimento nas unidades ESFs em casos eletivos poderia filtrar os casos que chegam ao hospital, principalmente em horários específicos, como depois das 16h, quando encerra o expediente das unidades de saúde. Assim, explicou que buscará realizar um reforço no horário entre as 17h e 20h para atender de forma mais célere os casos de ficha “azul” (não emergenciais, que poderiam aguardar até quatro horas para o atendimento), visando fazer o procedimento e encaminhamento mais rápido, de forma a evitar o acúmulo de pacientes aguardando atendimento no horário.

Ainda sobre atendimentos, Grings destacou que será discutido em reunião interna com a equipe para a disponibilidade do profissional de acolhimento que venha a conversar com os pacientes que aguardam no plantão periodicamente, tanto para informar como estão os atendimentos como para verificar a situação dos pacientes que aguardam a sua vez de atendimento.

Na próxima reunião da CTE, os membros da comissão irão realizar uma discussão interna para reunir as informações obtidas até o momento e delinear as próximas diretrizes de trabalho e futuros encontros a serem realizados.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…