O mosquito Aedes Aegypti está dentro das nossas casas

  • 23 de fevereiro de 2024

O calor intenso deste verão, consequência do desequilíbrio climático que afeta a qualidade de vida da população, está exigindo das famílias prioridade no combate ao mosquito Aedes Aegypti, por ser o portador do vírus que causa sequelas e óbitos na população.  O combate exige tratamentos intensos, por tempo indeterminado, quando não causa a morte ao ser infectado.

O Ministério da Saúde está desenvolvendo grande trabalho de comunicação com o fim de mobilizar as famílias brasileiras a assumirem com a maior energia e responsabilidade o combate a esse mosquito, que está instalado preferencialmente em nossas casas. Esses invasores estão em toda parte, mas é onde moramos que se instalam para facilitar o contágio do vírus. A estatística oficial indica que 75% desses mosquitos nos desafiam ocupando águas paradas em vasos e ouros recipientes como floreiras e outros enfeites. Nesses locais liberam os vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela, para sugar sangue humano, indispensável para garantir os seus ciclos de vida.

Esse mosquito se instala em águas limpas paradas, que também podem ser encontradas nos pátios das casas, em pneus, latas e todo tipo de objetos abandonados que pela sua moldura deixam expostas superfícies para acolher água. Esse é o local onde o Aedes Aegypti se multiplica, para levar o vírus até as pessoas em busca de sangue humano, o único alimento que lhes dá vida, por poucos dias. Como sua multiplicação é tão extraordinária, capaz de se espalhar rapidamente, só uma ação conjunta da população e dos órgãos de saúde, muito atenta e organizada, pode impedir o crescimento dessa peste, que está causando muitas mortes e deixando sequelas em pessoas para sempre.

O vírus da Chikungunya pode apresentar perfil de infecção crônica nas pessoas infectadas, provoca dores intensas nas articulações e apresentar casos atípicos que podem evoluir para óbito.

O vírus da Zika ataca as pacientes gestantes, apresentando risco de transmissão para o feto, podendo causar malformações no bebê, através de uma microcefalia e até mesmo um aborto. Nesse caso ocorre uma malformação em que o cérebro não se desenvolve de forma congênita. Mulheres grávidas devem ter especial cuidado para não dar espaço ao vírus da zika.

A Dengue é a arbovirose urbana de maior relevância nas Américas. Ela é transmitida por mosquitos do gênero Aedes e possui como agente etiológico o vírus Dengue. O contágio ocorre através da picada dos mosquitos fêmeas de Aedes Aegypti infectados no ciclo humano.

Finalmente, se sabe que também o vírus da Febre Amarela, peste que parecia erradicada, mas que reaparece através do mosquito Aedes Aegypti.

Diante de tantos males, que destrói pessoas, famílias e tudo que somos, as famílias devem eliminar todos os focos de água parada dentro de casa, nos jardins, nos pátios, em toda a área de suas propriedades. Todo essa praga ganha vida abaixo dos nossos narizes. Por isso, os soldados para vencer essa guerra é formado pelas famílias, com o apoio das equipes de saúde que visitam as cidades todos os dias.

Não permita que esse mosquito tenha vida em sua casa. Isso só será possível combatendo o inimigo diariamente.

A vacinação se processa conforme ocorre a produção desse medicamento, inicialmente destinado às crianças, já atualizada para combater a nova roupagem das viroses.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…