O valor oculto da frustração

  • 2 de fevereiro de 2024

Num mundo que constantemente nos incentiva a buscar a felicidade e o sucesso ininterrupto, a frustração é frequentemente vista como uma intrusa indesejada. No entanto, é na interseção dolorosa entre o que queremos e o que conseguimos que descobrimos um benefício subestimado e valioso: o crescimento pessoal.

A frustração, muitas vezes, é vista como um obstáculo no caminho para a realização de nossos objetivos. No entanto, ao examinarmos mais de perto essa emoção aparentemente negativa, percebemos que ela carrega consigo uma lição única e transformadora.

Primeiramente, a frustração atua como um espelho, refletindo nossas expectativas e desejos mais profundos. Ao nos depararmos com a barreira da não realização, somos confrontados com a oportunidade de avaliar se nossas metas são realistas e se estão alinhadas com nossos valores mais autênticos. A frustração, nesse sentido, age como um guia, apontando-nos na direção de ajustes necessários em nossa visão de mundo.

Além disso, é na superação da frustração que desenvolvemos resiliência. Cada desafio não superado não é apenas uma derrota, mas uma aula intensiva sobre persistência e força interior. A resiliência construída nas batalhas com a frustração nos prepara para enfrentar as incertezas da vida de forma mais equilibrada e corajosa.

A frustração também nos ensina sobre a impermanência das coisas. À medida que superamos obstáculos, percebemos que a dor da não realização eventualmente cede lugar a uma compreensão mais profunda e a uma aceitação das mudanças inevitáveis. Aprendemos que o sucesso é frequentemente precedido pela adversidade, e a jornada é tão importante quanto o destino.

Por fim, a frustração é um catalisador para a criatividade e inovação. Quando nossos planos originais falham, somos forçados a explorar novas abordagens e perspectivas. É nas tentativas de superar obstáculos que muitas descobertas e invenções são feitas. A frustração, portanto, se revela como um terreno fértil para o nascimento de ideias revolucionárias.

A frustração, embora muitas vezes subestimada, é uma professora valiosa na escola da vida. Ela nos convida a refletir, fortalecer, aceitar e inovar. Ao abraçarmos a frustração como uma aliada em nossa jornada, descobrimos que seus benefícios transcendentais superam em muito sua superfície aparentemente desagradável.

O choro lubrifica o olho, que, por sua vez, enxerga melhor.

O pranto ruboriza a face, proporcionando calor e ardência ao novo recomeço.

A frustração é o caminho para o novo. E quem recomeça, segue rumo à nova possibilidade de êxito.

Frustremo-nos todos, para o avante do sucesso.

Essa é a vida. E hoje, enquanto neurologista, escrevo, digo e repito:

“Só se manterão de pé neste século aqueles que tiverem saúde mental. E para isso, é preciso entender muito sobre frustrar-se e reconstruir-se”.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…