Referencial em declínio

  • 9 de setembro de 2023

A União ‘Irmã Maria Aparecida da Silva’ de São Luiz Gonzaga esteve presente na 41ª Assembleia das Ex-Alunas Salesianas na Federação Nossa Senhora Aparecida, em Porto Alegre, no início do mês de setembro.

Nossa União local tem  esse nome devido à primeira Diretora do INSA (Instituto ‘Nossa Senhora Auxiliadora’) que abrigou, por muitos anos, Escola Salesiana aqui. Formou inúmeras turmas de Ginásio e Magistério. Esses ‘frutos’ estão disseminados por toda a região, ocupando chefias de escolas e trabalhando com crianças e adolescentes. Assim contribuem para que os ensinamentos salesianos se difundam nas famílias, escolas e comunidades.

Cada ano esta Assembleia é realizada na capital gaúcha. Este ano participaram as uniões de Cambé (Paraná), Campos Novos (Santa Catarina) e as gaúchas de Porto Alegre, Bagé, Uruguaiana e São Luiz Gonzaga. A Presidente da Federação pertence à União de Uruguaiana. A Presidente junto com a Delegada coordenaram a Assembleia que, este ano, teve como tema a Ex-aluna como fermento na família hoje.

O tema – Estreia – é fornecido, anualmente, pelo Reitor-Mor da Congregação Salesiana a nível mundial.

O Tema é enviado a todas as uniões antecipadamente. Cada União recebe uma ‘tarefa’ para ampliar os estudos e apresentar na Assembleia.

A União local participou com onze ex-alunas.

Além da apresentação do tema há aquela alegria típica das casas salesianas. Surgem horas de chimarrão, troca de mimos, cafezinho,  almoços (uma zoeira só!); muita religiosidade, enfocando princípios do Mestre D. Bosco e Maria Mazzarello, ambos santos católicos. Auxiliadora sempre na frente. Não faltam sessões de piadas, música, cantos, troca de conhecimentos regionais, Bingo. A irmã salesiana da cozinha é são-luizense, o sacerdote que rezou a missa dominical também é são-luizense. O grupo estava em casa! Salesianidade pura! Baterias recarregadas.

Muito profunda a apresentação da Irmã Aparecida de São Paulo que, de maneira simples, abordou sobre a imensa árvore de salesianos no mundo. Enfocou o trabalho com jovens oriundos de todas as classes. Enfatizou a carência afetiva deles, generalizando para todos os jovens de hoje. Estes jovens perderam seus referenciais adultos. Quem está necessitando de uma boa reciclagem de vivência educativa são os adultos. Falta um bom modelo adulto para os jovens copiarem. Os jovens estão perdidinhos com a educação de fachada dos adultos de hoje. O bom exemplo ainda vale. Muito bom o enfoque desse tema.

Volta-se para a cidade originária com novas ideias, reconfortados com o encontro com outras escolas salesianas mas com o mesmo alicerce construído durante os anos escolares.

Umas gotas de referências podem ser o estímulo para a juventude atual.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…