Vai que dá

  • 21 de julho de 2023

Insistir no aprendizado de algo novo contagia o próprio indivíduo ao detectar o resultado. Ele rejuvenesce com a alegria de introduzir no seu eu mais um item na sua biografia. Isto perdura por toda a existência. Sempre tentar.

Os primeiros passos, físicos, emocionais ou intelectuais, fortalecem todos os órgãos do organismo. Fica forte mediante as intempéries da vida.

Uma paciente que não admite passar por um parto normal e, depois, consegue essa façanha, sente-se mais forte em suas estruturas físicas e emocionais. Quando, novamente, esta diante de um novo percalço, consegue suplantá-lo com mais facilidade. A natureza ensina, mas o humano teima em contrariá-la. Há inúmeros exemplos de mamães, relatando esta ‘proeza’.

Crianças de hoje são extremamente hábeis em aprendizado, embora há pais que sempre acham que elas são fraquinhas. Basta ensiná-las. E como aprendem rápido!

A escola constitui uma forma de instruir pequenos e jovens para uma caminhada rica de novos conhecimentos e, além desta fonte de saberes, enriquece a convivência com outros de origens diferentes. Isto é acrescentado a seu perfil, mudança de hábitos, saber escutar seus colegas, ajudá-los.

Dificuldades sempre vão aparecer no tranco da vida.

Os relacionamentos com pais em casa constitui uma imensa vitrine de seu desempenho em outros locais. Dão mostra de sua origem. O professor-educador percebe logo. Bons ou maus hábitos. As professoras vão redescobrindo um universo de práticas diferentes com o alunado. Este pode ser exigido assim. Este outro não dá o mesmo modo. Quanto mais convive com alunos mais vai aprendendo. É uma simbiose de vivências escolares que irá perdurar toda vida. Como é enriquecedor quando um professor constatar seu ex-aluno passar em vestibular, empreender um negócio, medalha esportiva ou de outra atividade, formar família… Assim o valor do professor não está só naqueles momentos de sala de aula. Está no decorrer da existência. Aquele entusiasmo, aquela palavrinha mágica ‘vai que dá’ e aquela estrondosa vitória.

Férias escolares existem para dar uma pausa, envolvendo corpo docente e discente. Não faltar às aulas, não preencher inúmeros atestados médicos são salutares para um bom andamento escolar. A pausa é para quem realmente estuda e trabalha.

Numa corrida esportiva aquele grito ‘vai que dá’ fornece novo alento para o esportista, estimulando-o a prosseguir.

Quando se enfrenta uma pedra no caminho há várias maneiras de ultrapassá-la. Contornar seria o mais lógico. Vai que dá!

Enriqueça seu físico, seu espírito, seu intelecto, suas emoções. Todos conseguem, uns com mais esforço, outros menos. Mas, vai que dá!

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…