Viver no aprendizado

  • 15 de março de 2024

Uma homenagem a E.M.

O hoje, o agora, constitui o maior presente de uma vida, momentaneamente. Respire fundo e vá de encontro à serenidade. Faça suas obrigações virarem cargas leves.

Planeje seus afazeres, seus estudos, sua carga, dentro de um clima tranquilo, sensato; enumere as atividades essenciais e primordiais e, assim, sucessivamente, as demais.

Você, certamente, achará dificuldade em algum quesito. Isto vivencia o humano. Não faltará aquela mão dadivosa, disposta a ajudá-lo.

O exemplo, mais claro, na atualidade, onde muitos (principalmente a velha guarda) encontram barreiras, consta nas demandas da informática. Isto não quer dizer que você está ultrapassado. Como você vai saber (ou dominar) algo novo que nunca foi ensinado? Nada de estresse. Sabe-se de muitos que chegam com dor no peito, prenunciando infarto, em locais de informatização, esbaforidos, com dificuldades mil, não conseguindo resolver pequenos problemas de informática. Pequenos para os sabidos, grandiosos aos outros mortais. Ainda bem que existem cabecinhas jovens ilustradas dispostas a ajudar você. Por sinal, você não tem problemas cerebrais, então aprende. Vagarosamente, você vai deglutindo mais esta etapa. A informática é ciência nova para muitos mortais. Exige organização de neurônios, tenacidade, repetição. Treino, muito treino até dar um estalo no seu cérebro. É como aquela criança que, repentinamente, lê tudo que está pela frente, prazerosamente.

O aprendizado nunca morre. Só mais vagaroso. Não pare de aprender. É como aquela pessoa (E.M.) que termina o seu Curso de Direito por volta de 80 anos. Um esforço próprio para sua alegria e de seus amigos e familiares. O trabalho se torna leve quando você está disposto a realizar algo novo, mesmo coisas mais simples.

Viver na ociosidade acarreta doenças psicossomáticas. Aquela dor de cabeça que leva você a todos os especialistas, realizando exames sem fim, e, para sua surpresa, nada prenuncia para um diagnóstico orgânico. Que tal começar algo que você goste?

Não jogue a toalha antes de esgotar todas as possibilidades para seu aprendizado.  Trazem bem estar, alegria e, consequentemente, vida saudável, suportando melhor as doenças físicas que, indiscutivelmente, virão.

Participe de reuniões, palestras, encontros de colegas e amigos. Preencha sua vidinha sem graça. Você verá que sua capacidade intelectual e emocional vai a mil.

Não pare de aprender. Essa é a vida que o Criador proporciona a todos.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…