Vó Margarida: “O segredo para ter 115 anos é ser feliz e fé em Deus”

  • 12 de maio de 2023
Foto 3

É moradora da Rua Borges de Medeiros, no bairro Centro de São Luiz Gonzaga, a quarta pessoa mais idosa do mundo. No alto dos seus 115 anos de vida, completados no último dia 19 de fevereiro, Dona Margarida Blanco, a vó Margarida, está entre as pessoas mais longevas do planeta segundo as informações da Gerontology Research Group (GRG), uma organização global que mapeia idosos com mais de 110 anos. O segredo para chegar lúcida e bem de saúde a tamanha longevidade? “Ser feliz e ter fé em Deus”, afirma ela em entrevista exclusiva ao Jornal A Notícia.

Vó Margarida foi casada duas vezes e teve oito filhos e, segundo a família, tem hoje 39 netos, 104 bisnetos e 31 tataranetos. Ela vive com a filha Eloir Blanco, 74 anos, que é a responsável pelos cuidados da mãe. “Ela acorda cedo, se veste e vai ao banheiro sozinha. Tem saúde até melhor que a minha. As únicas coisas que sentiu com o avançar dos anos foi a perda da audição e artrose nos joelhos que, mesmo ela conseguindo ficar em pé e dar alguns passos, a obriga a usar cadeira de rodas”, conta a filha Eloir. “Sempre fomos muito ligadas e ela não nunca quis ficar longe de mim. Tanto que quando casei, minha mãe foi morar comigo. Era natural que eu ficasse com ela na velhice”, continua Eloir, que aos 74 anos é a filha caçula de dona Margarida.

Com toda a simplicidade de uma pessoa que trabalhou como agricultora desde pequena, a centenária Vó Margarida afirma que passou muito trabalho e dificuldades na vida, e que isso a fez ser mais forte. “Trabalhava na roça, de pés descalços e sem chapéu, na chuva, frio ou sol forte. Tinha três vestidos, dois para trabalhar e um para ir à missa. A gente comia ou que produzia. Mas posso dizer que fui e sou feliz por ainda estar aqui com boa cabeça e condições de fazer minhas orações todos os dias. O segredo eu diria é ser feliz e ter fé em Deus”, destaca a idosa.

Até o padre pede a bênção para a Vó Margarida

A filha Eloir conta que a mãe acorda antes das 8 horas da manhã e vai ao banheiro sozinha. “Depois, na cadeira de rodas, acompanha programas de um canal religioso na televisão. Só então toma café da manhã, geralmente com ovo cozido, pão com chimia e café com leite.” Para o almoço, Vó Margarida gosta de cabeça de porco assada e batata doce. Mas a idosa não tem a mesma fome que tinha quando era mais jovem. Por isso, hoje mantém uma alimentação mais leve, mas quase sem restrições.

“Faz seis anos que ela não precisa ir ao hospital. Fazemos todos os anos testes para ver se está tudo bem. Os exames dela são melhores do que os meus. Não tem colesterol alto, não tem nada. Muitas pessoas com saúde boa não chegam a essa idade. Acho que ela conseguiu isso pela fé em Deus e por não parar nunca”, acrescenta Eloir. Perguntada sobre como é seu dia a dia, Vó Margarida salienta que gosta de receber visitas. “Gosto de ver a família, vizinhos e até o padre vem aqui me ver e pedir a bênção”, conta ela com um sorriso no rosto.

A idosa completa afirmando que, “quando Deus quiser me levar, que eu esteja dormindo e não veja nada. Não quero ficar aqui precisando que outras pessoas me ajudem a me cuidar. Tenho muita vontade de viver enquanto Ele assim o quiser”, diz Vó Margarida.

Entidades e empresas se mobilizam para promoção do Arroz Solidário

Estão em ritmo intenso os trabalhos de organização da primeira edição do Arroz Solidário. A programação ocorre no próximo dia…

Alunos do IERB criaram desenhos com mensagens de esperança aos atingidos pelas enchentes

Neste mês de maio, as professoras do Instituto Estadual Rui Barbosa, Gisele Silva De Oliveira Guedes e Viviane Siqueira Alves,…

Rock solidário nesta sexta-feira, no Atlanta

Nesta sexta-feira, 24 de maio, junto ao Atlanta Boliche Bar em São Luiz Gonzaga, será realizada a noite do Rock…